Última hora

Em leitura:

Sevilha ganha 28,2 milhões de euros esta época nas provas europeias

Desporto

Sevilha ganha 28,2 milhões de euros esta época nas provas europeias

Publicidade

O Sevilha somou ganhos de 28,2 milhões de euros pela participação esta época nas provas europeias. Somando 15 só na fase de grupos da Liga dos Campeões, a equipa de Beto, Daniel Carriço e Diogo Figueiras só parou de faturar com a conquista de mais uma Liga Europa.

Logo a abrir a temporada, os andaluzes ganharam 3 milhões de euros por jogar a Supertaça; 15 milhões da passagem pela fase de grupos de Liga dos Campeões; 3,75 milhões pela chegada à final da Liga Europa; e 6,5 milhões pela vitória em Basileia.

Em três temporadas consecutivas, são nove os títulos europeus conmquistados por clubes espanhóis. Três deles, estão na vitrine do Sevilha. Todos ganhos na Liga Europa desde a final de 2014 em que derrotaram o Benfica, de Jorge Jesus, no desempate por grandes penalidades.

Nas três finais ganhas pelo Sevilha houve sempre um toque português. entre trio lusitano dos andaluzes, Daniel Carriço, defesa de 27 anos formado no Sporting, foi sempre titular. “Já vamos no terceiro título seguido. Esta é a nossa competição. Vencemos com a ajuda de Antonio Puerta (nr.: antigo jogador do Sevilha que morreu em campo em 2007). A estrela dele está lá em cima a ajudar-nos”, afirmou Carriço.

O guarda-redes Beto alinhou diante das “águias”, foi suplente em 2015, diante dos ucranianos do Dnipro, de Bruno Gama, e passou a não convocado a este ano, sem fazer um só minuto na competição. Diogo Figueiras foi suplente utilizado em 2014, não utilizado no ano passado e agora, diante do Liverpool, também ficou fora das opções do treinador.

O treinador Unay Emery salientou a hegemonia do clube espanhola na segunda prova de clubes do calendário europeu, mas já antevê, entretanto, o regresso do Sevilha à Liga dos Campeões.

“Para nós, sevilhanos, esta competição é-nos muito querida. Chegamos a quere-la tanto, a deseja-la tanto, que a encontrámos. Dá-nos muita felicidade e, por isso, insistimos (em ganhá-la). A ‘Champions’ é outra oportunidade para crescer”, afirmou após o jogo.

Logo após a festa no relvado de Basileia, o Sevilha voltou a casa e a celebração prosseguiu na capital da Andaluzia. O título europeu representou um encaixe financeiro de 25,2 milhões. Mas não só.

Tal como há um ano, quando estreou o novo prémio concedido pela UEFA ao vencedor da Liga Europa, com a repetição este ano do triunfo na prova, o Sevilha volta tambem a ter entrada direta na fase de grupos da próxima Liga dos Campeões e garantia de mais alguns milhões para os cofres.

Antes disso, contudo, a equipa de Unay Emery ainda terá mais um título europeu para disputar, a Supertaça. Será a 9 de agosto, diante de um dos rivais de Madrid, Real ou Atlético, os finalistas deste ano da Liga dos Campeões (final a 28 de maio).

Do sonho às lágrimas

O Liverpool regressava a uma final europeia, nove anos depois de ter perdido a Liga dos Campeões para o AC Milan. Os “Reds” até nem começaram mal, chegaram ao intervalo a ganhar com um grande golo de Daniel Sturridge, mas acabaram de forma amarga (1-3) após uma Súper segunda parte do Sevilha.

O jogo teve vários erros de arbitragem a favorecer os espanhóis. O treinador dos ingleses evitou, contudo, as desculpas fáceis e assumiu toda a responsabilidade.

Sem se deter muito na derrota, o alemão Jürgen Klopp prefere começar já a preparar a próxima final. “Acredito e vou dar tudo de mim para chegar à próxima final mesmo sabendo que também a posso perder. É assim”, disse, admitindo, no entanto, que, apesar de “haver maiores problemas na vida”, digerir esta derrota “ está a ser muito difícil.”

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte