Spotify: Prejuízos aumentam, mas receitas disparam

Access to the comments Comentários
De  Patricia Cardoso  com Reuters, AFP
Spotify: Prejuízos aumentam, mas receitas disparam

<p>O serviço de música em “streaming” Spotify continua a perder dinheiro, apesar da forte progressão do número de utilizadores e das receitas em 2015.</p> <p>Segundo as contas anuais da holding sediada no Luxemburgo, a empresa sueca termina o ano com prejuízos operativos de 184,5 milhões de euros, o valor mais alto de sempre. </p> <p>No entanto, o número de utilizadores passou de 60 milhões (em 2014) para mais de 89 milhões, incluindo 29 milhões com serviço a pagamento. </p> <p>As receitas dispararam 80% para 1,9 mil milhões de euros. As receitas publicitárias quase duplicaram para 195 milhões de euros.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Filings show <a href="https://twitter.com/Spotify"><code>Spotify</a> generated revenue of $2.12 billion last year, up about 80% from 2014. <a href="https://t.co/baqdSUAG7q">https://t.co/baqdSUAG7q</a></p>&mdash; Recode (</code>Recode) <a href="https://twitter.com/Recode/status/734934448563572742">24 de maio de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>É o maior crescimento dos dois últimos anos. Mas as contas refletem o forte investimento, o aumento do pessoal e os projetos de expansão da companhia, presente em 59 países. </p> <p>Segundo o gabinete MIdiA Research, a Spotify detinha, no ano passado, 37% da quota de mercado.</p>