This content is not available in your region

Brasil: Polícia à espera de exames para deter suspeitos de violação em grupo de menor

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Brasil: Polícia à espera de exames para deter suspeitos de violação em grupo de menor

<p>A classe política brasileira condenou em uníssono a violação de uma adolescente de 16 anos por mais de trinta homens, no passado fim de semana no Rio de Janeiro.</p> <p>As reações de repúdio contrastam com a prudência da polícia que afirma aguardar ainda as provas periciais para poder deter quatro responsáveis do crime, identificados nas últimas horas.</p> <p>A vítima, que foi novamente interrogada pela polícia esta sexta-feira, reagiu nas redes sociais aos comentários sobre o vídeo da violação, publicado por um dos alegados atacantes, afirmando: “Não, não dói o útero e sim a alma por existirem pessoas cruéis sendo impunes”.</p> <p>Nas redes sociais, tanto o atual presidente interino como Dilma Roussef condenaram a ação, prometendo reforçar o combate contra os crimes de género.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="pt" dir="ltr">Tomaremos medidas efetivas para combater a violência contra a mulher.</p>— Michel Temer (@MichelTemer) <a href="https://twitter.com/MichelTemer/status/736203991789490176">May 27, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="pt" dir="ltr">Mais uma vez reafirmo meu repúdio à violência contra as mulheres. Precisamos combater, denunciar e punir este crime.</p>— Dilma Rousseff (@dilmabr) <a href="https://twitter.com/dilmabr/status/735929665651638274">May 26, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Para Arlanza Rebello, provedora de Justiça do Estado do Rio</p> <p>‘‘Trata-se de um crime violento e toda a sociedade está mobilizada face à gravidade da situação que reflete o conservadorismo que se mantém na nossa sociedade, uma sociedade patriarcal”.</p> <p>A <span class="caps">ONU</span> Brasil condenou igualmente o crime, apontando-o como uma “trama premeditada”, “num contexto de drogas ilícitas”.</p> <p>Segundo os dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, uma mulher é violada a cada 11 minutos no Brasil.</p> <p>O caso ocorre dias após a violação em grupo de uma jovem de 17 anos no estado do Piauí. O juíz responsável pelo processo decidiu ontem libertar os quatro suspeitos do crime, todos menores com idades entre os 15 e os 17 anos.</p> <p>O ataque levanta igualmente questões sobre a segurança no Rio de Janeiro, na véspera do início dos Jogos Olímpicos.</p> <p>Centenas de mulheres manifestaram-se esta noite, junto à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, para condenar o crime contra a adolescente, sob o lema “Estupro não é culpa da vítima”.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="pt" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/RJ?src=hash">#RJ</a> Contra a cultura do estupro, centenas de mulheres se reúnem agora nas escadas da ALERJ <a href="https://twitter.com/hashtag/EstuproNao%C3%89CulpaDaVitima?src=hash">#EstuproNaoÉCulpaDaVitima</a> <a href="https://t.co/YQ5EJ9dFdY">pic.twitter.com/YQ5EJ9dFdY</a></p>— Midia NINJA (@MidiaNINJA) <a href="https://twitter.com/MidiaNINJA/status/736322044170797056">May 27, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>