França: Três horas para reatar o processo de paz israelo-palestiniano

Access to the comments Comentários
De  Euronews
França: Três horas para reatar o processo de paz israelo-palestiniano

<p>A França tenta relançar o processo de paz israelo-palestiniano com uma cimeira, esta sexta-feira, que está longe de criar grandes expetativas nos dois campos.</p> <p>Quase três dezenas de ministros dos Negócios Estrangeiros de países árabes e ocidentais vão reunir-se em Paris para tentar ultrapassar o fracasso das últimas conversações em 2014.</p> <p>Uma iniciativa que, para o primeiro-ministro Benjamin Nethanyahu, representa uma forma dos palestinianos, “evitarem discussões diretas”, previstas no plano da Liga Árabe, apoiado por Israel.</p> <p>Dore Gold, número dois da diplomacia israelita, não hesitou em falar de uma cimeira, “votada ao fracasso”.</p> <p>Para David Keyes, porta-voz do primeiro-ministro israelita:</p> <p>“Muitas coisas mudaram nesta região nos últimos anos e a iniciativa de paz da Liga Árabe representa uma nova oportunidade para convencer os palestinianos a aceitar conversações bilaterais e diretas.Infelizmente a iniciativa francesa fornece um quadro multilateral que os palestinianos vêem como uma solução imposta por Israel e um pretexto para não tomar decisões difíceis”. </p> <p>Já os palestinianos vêem a reunião de apenas três horas, como uma pressão adicional sobre Israel, quando o território continua a não respeitar as decisões internacionais, nomeadamente sobre a expansão dos colonatos na Cisjordânia.</p> <p>Para o ministro dos Negócios Estrangeiros palestiniano, Riad Al-Malki:</p> <p>“Até agora Israel rejeitou esta iniciativa e é por isso que França decidiu, com razão, convocar todos estes países para tentarem estabelecer os princípios de um mecanismo de trabalho para poderem falar depois com palestinianos e israelitas”.</p> <p>A reunião vai tentar chegar a um consenso sobre a convocação de uma cimeira de paz internacional até ao final do ano, assim como tentar fixar um calendário para a retoma das discussões.</p> <p>Os Estados Unidos não escondem o ceticismo. John Kerry vai deslocar-se a Paris, mas já garantiu que Washington não vai apresentar nenhuma proposta nova durante a reunião.</p> <p>Segundo o jornal israelita <a href="http://www.haaretz.com/israel-news/.premium-1.722908">Haaretz</a>, Israel teria multiplicado as pressões nos últimos dias para evitar a adoção de decisões significativas durante a cimeira, nomeadamente o eventual apoio do Conselho de Segurança da <span class="caps">ONU</span> a um futuro processo de paz de Paris.</p>