Última hora

Em leitura:

Síria: ONU quer que Damasco abra os céus à ajuda humanitária

mundo

Síria: ONU quer que Damasco abra os céus à ajuda humanitária

Publicidade

A ajuda humanitária continua a chegar a conta gotas a apenas uma pequena parte das 592 mil pessoas sitiadas pela guerra na Síria.

Cinco camiões da ONU e do Crescente Vermelho distribuem desde ontem apenas medicamentos à povoação rebelde de Deraya, cercada pelo regime desde há quatro anos.

Uma ajuda insuficiente para a população local e a ONU que apelam a Damasco que autorize a distribuição de ajuda por via aérea.

Segundo o vice-enviado da ONU para a Síria, Ramzy E. Ramzy:

“É necessário obter a autorização do governo para garantir a segurança, mas pode não ser suficiente. Há outros grupos espalhados pela Síria que têm a capacidade de dificultar estas operações e isso tem de ser tomado em conta”.

A Rússia, aliada de Assad, tinha já largado mantimentos em Abril sobre as zonas sitiadas no leste da Síria.

Estados Unidos, Reino Unido e França convocaram uma reunião do Conselho de Segurança para sexta-feira, para exigir que Damasco cumpra o compromisso de autorizar a largada de mantimentos no início de Junho.

A ONU reconhece que apenas 4 das 19 cidades sitiadas poderiam ser reabastecidas por aviões, quando não dispõe de helicópteros para aceder às zonas mais remotas do país.

A oposição síria criticou, por seu lado, e em vídeo, as caravanas humanitárias que, nos últimos dias, têm conseguido aceder a algumas cidades sitiadas, classificando-as como “um remendo temporário”.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte