Última hora

EUA: Clinton lidera intenções de voto frente a Trump (Reuters/Ipsos)

A última sondagem Reuters/Ispsos atribui 46 por cento das intenções de voto a Hillary Clinton contra 35 por cento a Donald Trump.

Em leitura:

EUA: Clinton lidera intenções de voto frente a Trump (Reuters/Ipsos)

Tamanho do texto Aa Aa

A última sondagem Reuters/Ipsos atribui uma importante vantagem a Hillary Clinton sobre o rival conservador Donald Trump, com 46% das intenções de voto. Os resultados foram conhecidos esta sexta-feira (2) e parecem ser o resultado dos ataques da muito possível candidata Democrata às presidenciais de novembro deste ano lançados contra o milionário de Nova Iorque.

Trump surge com 35% das intenções de voto, 11% abaixo de Clinton, depois de, no passado mês de maio, ter estado empatado com a sua rival.

A evolução nas intenções de voto do eleitorado surge depois dos ferozes ataques de Clinton às propostas políticas de Trump. Clinton disse duvidar seriamente das capacidades de Trump para ser presidente dos Estados Unidos da América durante um meeting em Culver City, Califórnia:

“Acredito absolutamente não só em que ele não está preparado para ser presidente, como em que tem um temperamento que o incapacita para o cargo de presidente” disse Clinton.

Mas o passado de Trump parece não ter estado a ajudar na sua popularidade ante o eleitorado. O provável candidato Republicano veio recentemente a público defender-se de críticas sobre a polémica Universidade Trump, um investimento visto por muitos como um esquema para ganhar dinheiro de forma fácil e sem equivalência real a uma verdadeira instituição de ensino superior.

Esta sexta-feira, durante um encontro com os seus apoiantes na localidade de Redding, Califórnia, Trump disse que Clinton não tinha qualquer talento para o cargo de presidente e que esta era uma mulher “ambiciosa como tudo” e que achava que era por isso que ela queria ser presidente.

Faltam cerca de seis meses para as eleições presidenciais nos Estados Unidos. Se for eleita, Hillary Clinton daria continuidade ao ciclo Democrata na Casa Branca, depois dos dois mandatos de Barack Obama. No entanto, 19% dos inquiridos disseram não ter intenção de votar em nenhum dos dois possíveis candidatos.