Última hora

Em leitura:

Suíça diz Não ao Rendimento Básico Universal

mundo

Suíça diz Não ao Rendimento Básico Universal

Publicidade

A Suíça rejeitou, de forma massiva, o Rendimento Básico Universal (RBU).

No referendo deste domingo, 76,9% dos eleitores votou contra à iniciativa que iria permitir à Suíça tornar-se no primeiro país do mundo onde o Estado iria garantir um rendimento mínimo, independentemente de se estar ou não a trabalhar.

A taxa de participação fixou-se nos 46%.

Apesar do resultado, os promotores da iniciativa mostram-se satisfeitos.

“Mais de 20 por cento significa que uma em cada cinco pessoas vê essa como sendo a direção certa. A ideia está definida e o conceito está lançado”, assegura um dos promotores da iniciativa, Daniel Hani.

“Penso que o resultado já lá está, hoje, mas são as pessoas, os sorrisos delas é que são a imagem desta bela festa. É uma emoção positiva, a noção de um desejo de mudança, rumo a uma nova sociedade”, remata um dos apoiantes do RBU

Embora o texto da iniciativa não propusesse um valor concreto, os promotores defendiam que cada adulto recebesse 2500 francos suíços, o equivalente a 2255 euros, por mês, e as crianças 625 francos suíços, o que equivale a 563 euros.

Os opositores argumentavam que a iniciativa além de ter um peso excessivo na economia, ia contra os valores do trabalho ao privilegiar aqueles que não querem contribuir para a evolução da sociedade.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte