Última hora

Em leitura:

França: protestos contra lei do trabalho sobem de tom no arranque do Euro2016

mundo

França: protestos contra lei do trabalho sobem de tom no arranque do Euro2016

Publicidade

Em França, os protestos contra a nova lei do trabalho voltam a subir de tom, nas vésperas do início do Euro2016.

A manifestação desta quarta-feira junto ao ministério das Finanças, em Paris, que degenerou em confrontos entre contestatários e forças da ordem que bloqueavam a marcha, demonstrava o clima de tensão social que vive o país há quatro meses e que não dá sinais de acalmar.

Vamos paralizar o país durante o Euro. Exigimos a retirada imediata da lei El-Khomri”, dizia um manifestante.

O arranque do campeonato europeu coincidirá com uma nova greve nos transportes aéreos, a recondução da paralização nos caminhos-de-ferro e novas mobilizações de funcionários dos correios e serviços de recolha de lixo; razões suficientes para inquietar o presidente do comité organizador do evento desportivo:

“Acerca da evolução das greves, não temos mais informações do que vocês. É, infelizmente, um assunto que não podemos controlar. Gostaríamos que a mobilidade fosse o mais fluida possível”, afirmava Jacques Lambert.

Alheias ao movimento de contestação, as seleções europeias continuam a chegar ao território francês. Ontem foi a vez dos espanhóis de “La Roja” e, para hoje, espera-se a chegada da equipa de Portugal, galvanizada pelo 7 a 0 obtido na véspera no último jogo preparativo, face à Estónia.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte