Massacre de Orlando: Doações de sangue em massa com restrições homossexuais

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com reuters, NBC, FDA
Massacre de Orlando: Doações de sangue em massa com restrições homossexuais

<p>Centenas de pessoas lotaram nas últimas horas os depósitos dos centros de recolha de sangue em Orlando, nos Estados Unidos, em reação ao trágico massacre de sábado à noite numa discoteca desta cidade da Florida. Ainda assim, alguns homossexuais assumidos terão sido impedidos de doar sangue, o que gerou uma polémica de alegada discriminação por orientação sexual.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Many <a href="https://twitter.com/hashtag/LGBTQ?src=hash">#LGBTQ</a> people are banned from donating blood. Tell <a href="https://twitter.com/US_FDA"><code>US_FDA</a>: end blood donor discrimination <a href="https://twitter.com/hashtag/Orlando?src=hash">#Orlando</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/Pulse?src=hash">#Pulse</a> <a href="https://t.co/AOU9rOd3Z4">pic.twitter.com/AOU9rOd3Z4</a></p>&mdash; The Task Force (</code>TheTaskForce) <a href="https://twitter.com/TheTaskForce/status/742072742967660544">12 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center"><i>(Muitas pessoas <span class="caps">LGBT</span> estão a ser impedidas de doar sangue. <br /> Digam à <span class="caps">FDA</span>: acabem com a discriminação nas doações de sangue.)</i></i></div></p> <p>De facto, durante cerca de três décadas a lei norte-americana impediu os homossexuais do sexo masculino a doar sangue devido ao perigo de transmissão da infeção por <span class="caps">VIH</span> (o vírus de imunodeficiência humana na base da <span class="caps">SIDA</span>). A lei, no entanto, foi revista em dezembro passado pela Administração norte-americana da Alimentação e Farmacêutica (<span class="caps">FDA</span>, na sigla original). </p> <p>O impedimento foi levantado, mas não abolido por completo. Mantém-se algumas restrições às doações de sangue por homossexuais do sexo masculino.</p> <div style="width:606px;margin-bottom:8px;">   <div style="background-color:#e8e8e8; font-size:12px; padding:8px;border-radius:8px;"> <h4>Doação de sangue por homossexuais e bissexuais nos Estados Unidos</h4> <p>“Na sequência da orientação do diferimento finalizado hoje para as doações de sangue, a <span class="caps">FDA</span> muda a sua recomendação de que homens que mantenham relações sexuais com outros homens (<span class="caps">MSM</span>) seja adiada indefinidamente — uma política que estava em implementação há aproximadamente 30 anos — para 12 meses desde o último contacto sexual com outro homem. <p>“Estas recomendações atualizadas alinham melhor o período de adiamento dos <span class="caps">MSM</span> com o de outros homens e mulheres em risco de contrair infeção por <span class="caps">VIH</span>, como os que receberam recentemente uma transfusão de sangue ou os que estiveram por acidentes expostos ao sangue de outro indivíduo.<br /> “<i></p> <p><a href="http://www.fda.gov/NewsEvents/Newsroom/PressAnnouncements/ucm478031.htm">Fonte: Anúncio da <span class="caps">FDA</span> de 21 de dezembro de 2015</a> </i></p> </div> </div></p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">.<a href="https://twitter.com/US_FDA"><code>US_FDA</a>’s New Gay Blood Donor Policy Is Homophobic & Far from ‘Progress’ <a href="https://t.co/1qKWCa0f4Q">https://t.co/1qKWCa0f4Q</a> MT <a href="https://twitter.com/TimTeeman"></code>TimTeeman</a> <a href="https://t.co/2IEfFL7YDu">pic.twitter.com/2IEfFL7YDu</a></p>— <span class="caps">HIV</span> Insight (@HIV_Insight) <a href="https://twitter.com/HIV_Insight/status/679068859480023040">21 de dezembro de 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center"><i>(A nova política de doações de sangue por gays é homofóbica e está longe do progresso.)</i></div></p> <p>O massacre aconteceu sábado à noite, durante uma festa lotada com 350 pessoas, numa conhecida discoteca de Orlando, Florida, frequentada por elementos da comunidade <span class="caps">LGBT</span> (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais). Pelo menos 50 pessoas morreram e mais de meia de centena ficou ferida após um homem — identificado como Omar Mateen, de 29 anos, natural de Nova Iorque e de ascendência afegã — ter irrompido pelo local a disparar indiscriminadamente.</p> <p>Os populares acorreram ao auxílio das vítimas através das doações de sangue. Em pouco tempo, a One Blood, uma empresa de recolha e armazenamento de sangue para uso médico, informou ter os depósitos cheios e pediu para o que ainda quisessem comparticipar para o fazerem dentro de uma semana. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Thank you so much for the incredible outpouring of support! Right now our donor centers and Big Red Bus locations are at full capacity.</p>— OneBlood (@my1blood) <a href="https://twitter.com/my1blood/status/742085828084531200">12 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center"><i>(Muito obrigado pela incrível manifestação de apoio! <br /> Neste momento, os nossos centros de doações e os centros móveis de recolha <br /> estão com plena capacidade.)</i></div></p> <p>Entre os que contribuíram, um homem não identificado disse aos jornalistas estar a fazer “tudo” ao seu alcance para ajudar. “O que, neste momento, é doar sangue para ajudar as vítimas que ainda lutam pela vida”, acrescentou. Uma doadora esperava “dar algum alívio aos centros de recolha de sangue, mas também às famílias afetadas e às vítimas.”</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/Orlando?src=hash">#Orlando</a> nightclub massacre rekindles gay blood donor controversy: <a href="https://t.co/gTKsvgVAtV">https://t.co/gTKsvgVAtV</a> <a href="https://t.co/6QwjvCI7E5">pic.twitter.com/6QwjvCI7E5</a></p>— <span class="caps">NBC</span> Bay Area (@nbcbayarea) <a href="https://twitter.com/nbcbayarea/status/742106973752205312">12 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>