This content is not available in your region

Massacre de Orlando: A mulher de Mateen poderia ser perseguida pela justiça

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva  com REUTERS
Massacre de Orlando: A mulher de Mateen poderia ser perseguida pela justiça

<p>A mulher do alegado jihadista que matou 49 pessoas na discoteca <span class="caps">LGBT</span> Pulse, na cidade de Orlando, Estados Unidos, sabia das intenções do que era então seu marido, o que poderia vir a constituir motivo para ser perseguida pela justiça norte-americana, de acordo com uma fonte judicial em declarações à agência Reuters.</p> <p>Noor Salman, casada com Omar Mateen, poderia ter de vir a enfrentar a justiça federal dos <span class="caps">EUA</span> já na quarta-feira. </p> <p>Segundo Angues King, Senador e membro do Comité de serviços de inteligência do Senado (câmara alta), Noor “teria alguma noção do que estava para acontecer.” </p> <p>“É, sem sombra de dúvida, uma pessoa considerada ‘de interesse’ para este processo e parece estar a cooperar, podendo vir a dar-nos informação importante.”</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Signs along the roadside in Downtown Orlando. <a href="https://twitter.com/hashtag/OrlandoUnited?src=hash">#OrlandoUnited</a> <a href="https://t.co/tQJAFu2EFK">pic.twitter.com/tQJAFu2EFK</a></p>— Orlando Police (@OrlandoPolice) <a href="https://twitter.com/OrlandoPolice/status/742922099984105472">15 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Duas redes norte-americanas de televisão disseram, esta quarta-feira, citando fontes próximas do <span class="caps">FBI</span>, que a justiça poderia considerar Noor como cúmplice de assassinato e de tentativa de assassinato, assim como responsável por não ter avisado as autoridades competentes acerca do ataque eminente. Poderia vir ainda a ser acusada de mentir aos agentes federais. A <span class="caps">NBC</span> contou que Noor tentou fazer com que o marido desistisse to ataque e que chegou mesmo a levá-lo à discoteca Pulse, em Orlando.</p> <p>Uma antiga mulher de Mateen disse que este era mentalmente instável e que a agrediu em diversas ocasiões. Sitora Yusufy contou, durante uma entrevista, que teve de fugir de casa depois de apenas quatro meses de casamento.</p> <p>A mãe de Yusufi, Ekbal Zahi Salman, vive em Rodeo, estado da Califórnia, e disse que a filha apenas a visitou uma vez depois de ter casado. Explicou que nunca gostou muito do genro porque este não permitia que a filha a visitasse.</p>