Venezuela: Quatro mortos e centenas de detidos nos protestos dos últimos dias

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva  com EFE, VENEVISION
Venezuela: Quatro mortos e centenas de detidos nos protestos dos últimos dias

<p>São já quatro os mortos durante os protestos por falta de alimentos na Venezuela durante as últimas semanas, quando o presidente Nicolas Maduro convidou a oposição para sentar-se e dialogar sobre os problemas que atravessa o país latino-americano.</p> <p>Um jovem de 17 anos morreu no estado de Mérida (oeste, próximo da fronteira com a Colômbia) durante protestos na localidade de Lagunillas, onde grupos de pessoas protestavam por não conseguirem comprar leite, uma situação que tem vindo a repetir-se em todo o país.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="es" dir="ltr">Gobernador Acuña informa que 400 personas fueron detenidas tras hechos en Cumaná – <a href="https://t.co/4FjO3o3voX">https://t.co/4FjO3o3voX</a></p>— Noticiero Venevisión (@noticierovv) <a href="https://twitter.com/noticierovv/status/743274044531761152">16 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Segundo um deputado eleito pelo estado de Mérida, o jovem teria sido atingido por uma arma de fogo no pescoço.</p> <p>As manifestações em Mérida tiveram lugar um dia depois dos confrontos em Cumaná, capital do estado de Sucre. Foram detidas 400 pessoas, segundo a agência <span class="caps">EFE</span>.</p> <p>Os protestos têm vindo a intensificar-se na Venezuela durante as últimas semanas pela falta de acesso aos alimentos. As pessoas esperam horas à porta de comércios públicos e privados para comprar produtos de primeira necessidade, como arroz, azeite, massa, farinha de milho utilizada em muitos dos pratos tradicionais, pão e produtos de higiene e limpeza.</p> <h3>Maduro diz estar aberto ao diálogo com a oposição</h3> <p>Esta terça-feira, o presidente venezuelano, Nicolas Maduro, assegurou estar disposto a sentar-se para dialogar com a oposição para que a Venezuela possa resolver os seus problemas.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="es" dir="ltr">Presidente Maduro plantea diálogo con oposición e insiste en demandas contra referéndum – <a href="https://t.co/tHrqWxc6AV">https://t.co/tHrqWxc6AV</a></p>— Noticiero Venevisión (@noticierovv) <a href="https://twitter.com/noticierovv/status/743274950182592512">16 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>As conversações contarão com o apoio da União das Nações Sul-americanas, <span class="caps">UNASUR</span>, o antigo chefe do Governo espanhol, José Luís Rodríguez Zapatero e os antigos presidentes da República Dominicana, Leonel Fernádez e Martín Torrijos, do Panamá.</p>