This content is not available in your region

França: Sindicatos e governo seguem de costas voltadas

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira
França: Sindicatos e governo seguem de costas voltadas

<p>Não há acordo, pelo menos para já, entre o governo de François Hollande e os Sindicatos. </p> <p>O Secretário-geral da <span class="caps">CGT</span> esteve reunido, esta sexta-feira, com a ministra francesa do Trabalho e à saída confirmou haver muitos pontos de discórdia, o que significa que as mobilizações vão manter-se: </p> <p>“Apresentámos propostas, propusemos métodos mas não somos nós que governamos… Neste momento, não há motivo para desmobilizar os cidadãos nem cancelar as mobilizações que estão previstas”, adiantou Philippe Martinez, o secretário-geral da <span class="caps">CGT</span>. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="fr" dir="ltr">Propositions de la <span class="caps">CGT</span> remises à la Ministre du travail et du dialogue social le 17 juin 2016 – La cgt <a href="https://t.co/N52ad8hdCc">https://t.co/N52ad8hdCc</a></p>— La <span class="caps">CGT</span> (@lacgtcommunique) <a href="https://twitter.com/lacgtcommunique/status/743839017536458752">17 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>A responsável pela pasta do Trabalho, em França, releva o desacordo, ainda que frise que não se chegou a um consenso. Evidencia o lado construtivo do encontro e continua a “bater nas mesmas teclas”: </p> <p>A ministra releva o desacordo, ainda que frise que não se chegou a um consenso. Evidencia o lado construtivo do encontro e continua a “bater nas mesmas teclas”, afirmou a ministra Myriam El Khomri. </p> <p>A <span class="caps">CGT</span> não concorda e espera-se uma nova jornada de mobilização para 23 de junho. Na quarta-feira o executivo tinha ameaçado não autorizar as manifestações. </p> <p>A última, a maior desde o início da contestação, organizada por sete sindicatos, e que aconteceu em Paris na terça-feira, reuniu mais de 75 mil pessoas e degenerou em confrontos entre manifestantes e polícia.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">WATCH</span>: Tear gas in <a href="https://twitter.com/hashtag/Paris?src=hash">#Paris</a> amidst anti-labor reform protest <a href="https://t.co/YVRMaRKMEL">https://t.co/YVRMaRKMEL</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/LoiTravail?src=hash">#LoiTravail</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/manif14juin?src=hash">#manif14juin</a> <a href="https://t.co/fWubrerK26">pic.twitter.com/fWubrerK26</a></p>— RT (@RT_com) <a href="https://twitter.com/RT_com/status/742706249955954688">14 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>