Última hora

Em leitura:

Dezenas de milhares em Okinawa contra presença militar em bases americanas

mundo

Dezenas de milhares em Okinawa contra presença militar em bases americanas

Publicidade

O governo japonês mantém o silêncio, mas a população japonesa de Okinawa, não.

Dezenas de milhares de pessoas protestaram no que pode ser a maior manifestação das últimas duas décadas contra a presença militar americana em bases locais.

O último caso a reacender a indignação foi o estrangulamento e esfaqueamento de Rina Shimabukuro, de 20 anos. Antes, tinha sido violada por um funcionário civil da base militar americana de Futenma.

Em 1995, a violação de uma criança de 12 anos por 3 soldados americanos gerou protestos massivos e levantou a hipótese de mudança de local da base de Futenma, uma vez que está numa zona residencial.

A hipótese de relocação é mantida pelos governos de ambos os países, mas a população e as autoridades de Okinawa acham que a presença de 50 mil cidadãos americanos, dos quais 30 mil são militares e empregados civis nas bases militares são um fardo injusto para suportar em qualquer ponto da ilha.

Foi também organizada uma manifestação em Tóquio a pedir a retirada das bases militares americanas.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte