Última hora

Atentado suicida mata seis guardas fronteiriços jordanos

Foi o primeiro ataque deste tipo contra a Jordânia desde que a guerra na Síria começou, em 2011.

Em leitura:

Atentado suicida mata seis guardas fronteiriços jordanos

Tamanho do texto Aa Aa

A emoção dominou o funeral dos seis soldados jordanos mortos num atentado suicida na fronteira com a Síria, esta terça-feira.

allviews Created with Sketch. Point of view

"Se conhecessem Deus não matariam sequer um gato, quanto mais um ser humano. Que Deus lhes peça contas."

Omar Zua'bi Pai de soldado assassinado

Foi o primeiro ataque deste tipo contra a Jordânia desde que a guerra na Síria começou, em 2011. No início deste mês, um ataque contra instalações dos serviços secretos jordanos, em Amã, tinha já feito cinco mortos.

O ataque parece ter a assinatura do grupo radical Estado Islâmico: “Eles não pertencem ao Islão. Se pertencessem, não faziam o que fazem, matar pessoas desta forma. Ainda por cima durante o Ramadão. Se conhecessem Deus não matariam sequer um gato, quanto mais um ser humano. Que Deus lhes peça contas”, diz o pai de um dos soldados mortos.

O ataque aconteceu num posto fronteiriço, numa zona desértica que separa a Jordânia da Síria. Os terroristas lançaram o carro armadilhado a grande velocidade contra os guardas

O Rei Abdullah já prometeu que os autores do atentado não iriam ficar impunes. A Jordânia decretou as fronteiras com a Síria e o Iraque “zonas militares fechadas”, sem especificar se isso significa cortar a passagem aos refugiados sírios que cruzam a fronteira todos os dias.