Última hora

Em leitura:

Atentado suicida mata seis guardas fronteiriços jordanos

mundo

Atentado suicida mata seis guardas fronteiriços jordanos

Publicidade

ALL VIEWS

Clique para descobrir

A emoção dominou o funeral dos seis soldados jordanos mortos num atentado suicida na fronteira com a Síria, esta terça-feira.

Foi o primeiro ataque deste tipo contra a Jordânia desde que a guerra na Síria começou, em 2011. No início deste mês, um ataque contra instalações dos serviços secretos jordanos, em Amã, tinha já feito cinco mortos.

O ataque parece ter a assinatura do grupo radical Estado Islâmico: “Eles não pertencem ao Islão. Se pertencessem, não faziam o que fazem, matar pessoas desta forma. Ainda por cima durante o Ramadão. Se conhecessem Deus não matariam sequer um gato, quanto mais um ser humano. Que Deus lhes peça contas”, diz o pai de um dos soldados mortos.

O ataque aconteceu num posto fronteiriço, numa zona desértica que separa a Jordânia da Síria. Os terroristas lançaram o carro armadilhado a grande velocidade contra os guardas

O Rei Abdullah já prometeu que os autores do atentado não iriam ficar impunes. A Jordânia decretou as fronteiras com a Síria e o Iraque “zonas militares fechadas”, sem especificar se isso significa cortar a passagem aos refugiados sírios que cruzam a fronteira todos os dias.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte