COI "reabre" a porta a atletas russos após escândalo de dopagem

Access to the comments Comentários
De  Euronews
COI "reabre" a porta a atletas russos após escândalo de dopagem

<p>O Comité Olímpico Internacional (<span class="caps">COI</span>) admite a possibilidade de levantar a interdição aos atletas russos de participarem nos Jogos do Rio.</p> <p>Os desportistas deverão ter, no entanto, que ser submetidos a testes individuais pelas federações internacionais, para afastar as suspeitas de dopagem, reveladas num relatório da Agência Mundial Antidopagem (<span class="caps">AMA</span>), no ano passado.</p> <p>A decisão, que abrange igualmente os atletas do Quénia, foi anunciada esta terça-feira, após uma reunião do Comité Olímpico Internacional, em Lausanne, na Suíça. </p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="en" dir="ltr">Declaration of the <a href="https://twitter.com/hashtag/OlympicSummit?src=hash">#OlympicSummit</a> <a href="https://t.co/nvJ3k2pMkA">https://t.co/nvJ3k2pMkA</a> <a href="https://t.co/EpCyTcWupL">pic.twitter.com/EpCyTcWupL</a></p>— IOC MEDIA (@iocmedia) <a href="https://twitter.com/iocmedia/status/745234413991002112">June 21, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Segundo Thomas Bach, o presidente da organização, “a conclusão da cimeira é que a declaração de não cumprimento cria sérias dúvidas sobre a presunção de inocência dos desportistas destes países”.</p> <p>Elogiando os esforços dos dois países, o Comité Olímpico Internacional, sublinhou as dúvidas que pairam sobre os organismos anti-dopagem russos e quenianos.</p> <p>Sem estas provas individuais, os desportistas continuarão impedidos de participar nas provas de atletismo, depois da interdição imposta o ano passado, renovada na sexta-feira pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (<span class="caps">IAAF</span>) e apoiada hoje pelo <span class="caps">COI</span>.</p> <p>Moscovo afirma que os atletas vão apresentar recurso da interdição, junto do tribunal arbitral do desporto.</p> <p>A Rússia, segunda potência mundial em atletismo, tinha sido suspensa em Novembro de 2015 após um relatório da <span class="caps">AMA</span> ter denunciado um sistema de doping “institucionalizado” no país.</p>