Última hora

Em leitura:

Desvendando o mistério de Anticítera

Sci-tech

Desvendando o mistério de Anticítera

Em parceria com

A Máquina de Anticítera foi descoberta num naufrágio há mais de um século, perto da ilha grega que lhe deu o nome. A função exata deste mecanismo era um mistério, até agora, em que, graças aos últimos avanços na investigação, começamos a entender cada vez melhor para que serve o instrumento criado pelos gregos.

Ao analisar as peças do mecanismo, os peritos entenderam tratar-se de uma ferramenta da astronomia, embora pouco mais tenham ficado a saber, numa fase inicial. Foi só após mais de uma década de investigação, conseguiram decifrar uns 3500 carateres de um texto encontrado no interior do instrumento, que constitui mistério da Astronomia com mais de dois mil anos.

A equipa de investigadores a cargo do projeto afirma ter conseguido decifrar a quase totalidade do documento. Este seria espécie de guia filosófico da galáxia, e, quem sabe, o mais antigo computador mecânico até agora conhecido.

Alexander Jones, professor de História da Ciência Antiga na Universidade de Nova Iorque (NYU) diz que esta seria uma ferramenta fundamental para a Astronomia grega:

“Há coisas que conseguimos entender ao analisar documentos da época. A forma como as pessoas conseguiam prever eclipses e o que poderiam realmente saber ao prever esses eclipses, por exemplo. A forma como entendiam o movimento dos planetas. E estas são informações valiosas porque sabemos realmente pouco acerca da astronomia dos gregos.”

O mecanismo teria a forma de uma pequena caixa de arquivo, de um dossier. Encontrava-se embutido numa proteção de madeira e funcionava com o recurso a uma manivela. A máquina de Anticítera parece ter sido revolucionária para a época em que foi criada.

Ao que parece, poderia ter sido criada para formar quem quisesse saber mais sobre Astronomia, segundo Alexander Jones:

“Sabemos já bastante sobre o funcionamento do mecanismo, mas ainda temos de entender melhor para que servia realmente. O que pretendia que fosse realmente quem o concebeu? O que fez com ele quem o usava? Penso que não seria uma ferramenta de pesquisa científica para a formulação de teorias, mas uma ferramenta usada na formação, na educação,” disse Jones.

A Máquina de Anticítera terá sido criado na Grécia entre 200 a 70 anos Antes da Nossa Era.

Não se conhece o nome do autor. Mas a leitura deste documento permite saber que fornecia informação sobre o movimento dos cinco planetas conhecidos naquela época Poderia saber-se, também, por exemplo, quando teria lugar um eclipse ou qual o posicionamento do Sol.

A equipa diz que conseguiu ler de decifrar praticamente todo o texto encontrado nos fragmentos existentes do documento. Agora, a grande esperança é que os arqueólogos analisam o naufrágio onde foi encontrada a máquina consigam encontrar novos elementos, até agora ignorados em anteriores explorações de há cerca de cem anos.

ALL VIEWS

Clique para descobrir
Artigo seguinte