Última hora

Em leitura:

Museu da antiga Eleuterna abre portas na Ilha de Creta e exibe vários tesouros arqueológicos

Cult

Museu da antiga Eleuterna abre portas na Ilha de Creta e exibe vários tesouros arqueológicos

In partnership with

Orthi Petra é uma das necrópoles mais importantes da Grécia. As sepulturas ilustram a história de Eleuterna, antiga cidade-estado da ilha de Creta que floresceu do terceiro milénio antes de Cristo até ao início do período bizantino. Uma equipa de arqueólogos começou a realizar escavações no local há três anos.

“A necrópole de Orthi Petra na antiga Eleuterna é a mais importante necrópole da idade das trevas e retrata os versos da Ilíada de Homero. Homero descreve a construção da pira crematória de Pátroclo, que se encontra, aqui, no cemitério de Orthi Petra. Temos aqui a parte visível da nossa história”, explicou Nicholas Stampolidis, professor da Universidade de Creta.

As obras encontradas durante as escavações fazem parte do Museu da Antiga Eleuterna que acaba de abrir portas, na ilha de Creta. O público pode contemplar mais de dez mil objetos. Um dos destaques da exposição é a sepultura de quatro mulheres.

“É uma das descobertas mais importantes. Trata-se de uma estrutura em pedra que contém os restos mortais de quatro mulheres, enterradas ao mesmo tempo, no início do século sete antes de Cristo. Uma das mulheres foi enterrada sentada. Tinha 72 anos e era provavelmente uma sacerdotisa. As outras três mulheres mais jovens foram enterradas durante o dia, com oferendas, vasos de argila e bronze, joalharia de ouro e outros presentes”, acrescentou o professor grego.

Os arqueólogos descobriram uma cópia quase exata da estátua “A Dama de Auxerre” que se encontra no museu do Louvre em Paris. Para o historiador de arte francês Alain Pasquier, antigo conservador do Louvre, a descoberta é emocionante.

“Eu estou reformado, mas, enquanto conservador do Louvre, durante 34 anos, vivi lado a lado com a ‘Dama de Auxerre’ e agora sei que se trata da dama de Eleuterna. É muito emocionante”, disse Alain Pasquier.

Artigo seguinte