This content is not available in your region

Presidenciais EUA: Hillary Clinton interrogada pelo FBI e Trump exige acusação

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com LUSA
Presidenciais EUA: Hillary Clinton interrogada pelo FBI e Trump exige acusação

<p>A candidata do partido Democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, prestou no sábado, “voluntariamente”, declarações no <span class="caps">FBI</span> (Agência Federal de Investigação dos Estados Unidos) sobre o uso do seu correio eletrónico privado para assuntos nacionais, quando era secretária de Estado.</p> <p>Hillary Clinton, também antiga “primeira-dama” e senadora, ganhou as eleições primárias do partido e deverá ser oficializada no final deste mês de julho como candidata do partido Democrata para as eleições presidenciais marcadas para 8 de novembro.</p> <p>Clinton “fez declarações voluntárias esta manhã sobre o seu correio eletrónico quando era secretária de Estado”, disse o porta-voz Nick Merrill, num curto comunicado sobre o encontro, que segundo a campanha de Clinton durou cerca de três horas e meia e decorreu na sede do <span class="caps">FBI</span>, em Washington.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">FBI</span> interviews Hillary Clinton in private server probe <a href="https://t.co/izuzKbxAkL">https://t.co/izuzKbxAkL</a> <a href="https://t.co/9hhdAYftRt">pic.twitter.com/9hhdAYftRt</a></p>— Reuters Top News (@Reuters) <a href="https://twitter.com/Reuters/status/749438781464403968">3 de julho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>A mesma fonte disse que Hillary Clinton se congratula pela oportunidade de contribuir para a conclusão do caso e que, “por respeito para com os processos de investigação não fará mais declarações” sobre o interrogatório.</p> <p>A polémica sobre os correios eletrónicos começou em 2015, quando a imprensa norte-americana revelou que durante os quatros anos no Departamento de Estado Hillary Clinton usou sempre uma conta pessoal para as suas comunicações, com um servidor privado.</p> <p>Clinton reconheceu então que teria sido “mais inteligente” usar uma conta oficial e entregou 55.000 páginas de correios eletrónicos ao Departamento de Estado mas o caso suscitou dúvidas sobre se houve um tratamento indevido de informação classificada.</p> <p>O assunto voltou esta semana a agitar a campanha para as presidenciais, depois de um controverso encontro entre o antigo Presidente Bill Clinton (marido de Hillary) e a procuradora geral, Loretta Lynch. A procuradora já garantiu que a conversa foi sobre os netos do casal Clinton.</p> <p>Pela rede social Twitter, Donald Trump defendeu também no sábado ser “impossível que o <span class="caps">FBI</span> não recomende acusações criminais contra Hillary Clinton”. “O que ela fez foi errado! O que o Bill (Clinton) fez foi estúpido”, acrecentou. Cerca de meia hora depois, Trump voltaria ao Twitter para revelar que “fontes” haviam anunciado que “nenhumas acusações iriam ser apresentadas contra a desonesta Hilary Clinton”. “Como eu disse, o sistema está todo manipulado”, concluiu o eventual candidato Republicano à Casa Branca (aguarda oficialização no congresso do partido a realizar também este mês).</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">It is impossible for the <span class="caps">FBI</span> not to recommend criminal charges against Hillary Clinton. What she did was wrong! What Bill did was stupid!</p>— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) <a href="https://twitter.com/realDonaldTrump/status/749341789102960640">2 de julho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">It was just announced-by sources-that no charges will be brought against Crooked Hillary Clinton. Like I said, the system is totally rigged!</p>— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) <a href="https://twitter.com/realDonaldTrump/status/749350193095667713">2 de julho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>