This content is not available in your region

May e Leadsom disputam liderança dos conservadores

Access to the comments Comentários
De  Nelson Pereira
May e Leadsom disputam liderança dos conservadores

<p>26 anos depois, o Reino Unido vai ter uma mulher a chefiar o governo. </p> <p>O lugar vai ser disputado pela ministra do Interior, Theresa May, e pela secretária de Estado da Energia, Andrea Leadsom. </p> <p>Os 329 deputados do Partido Conservador deram a May na segunda volta 199 votos, e a Leadsom 84. O ministro da Justiça, Michael Gove, foi eliminado, com 46.</p> <p>As duas candidatas serão agora submetidas à votação dos 150 mil militantes do partido. O resultado será conhecido no dia 9 de setembro.</p> <p>A próxima primeira-ministra terá de negociar a saída do Reino Unido da União Europeia. May, que não era a favor do Brexit, quer negociar o processo de saída sem pressas, enquanto Leadsom promete acionar rapidamente o artigo 50 do Tratado de Lisboa.</p> <p>A partir de que aumentou a visibilidade de Leadsom, o currículo da candidata apoiada por Brian Johson passou a ser lido com mais atenção. Leadsom diz ter sido responsável pela coordenação de grandes equipas no Barclays e ter participado na gestão da crise que conduziu ao colapso do banco de investimento Barings, em 1995. Robert Stephens, um ex-colega da secretária de Estado veio a público desmenti-la.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="en" dir="ltr">A former colleague of <a href="https://twitter.com/andrealeadsom"><code>andrealeadsom</a> says the way her past career has been presented is "highly misleading"<a href="https://t.co/t1BdXpqaEL">https://t.co/t1BdXpqaEL</a></p>&mdash; Channel 4 News (</code>Channel4News) <a href="https://twitter.com/Channel4News/status/751067535705989120">7 juillet 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>