Última hora

Em leitura:

Analista Mike Ingram defende decisão de manter taxa do Banco de Inglaterra

economia

Analista Mike Ingram defende decisão de manter taxa do Banco de Inglaterra

Publicidade

O Banco de Inglaterra mantém, para já, inalterada a taxa de juro de referência no mesmo meio ponto percentual em que está já há mais de sete anos. A decisão surpreendeu o mercado face aos efeitos negativos da perspetivada saída do Reino Unido da União Europeia decidida no referendo de 22 de junho.

Após a reunião desta quinta-feira, o Governador do Banco de Inglaterra deixou sinais de que haverá mais estímulos à economia britânica durante o verão, mas Mark Carney também revelou preocupação pelo que um corte no custo dos empréstimos poderia representar para as contas da banca britânica.

O analista Mike Ingram, da BGC Partners, está em sintonia: “Tivessem eles implementado um corte nas taxas de juro, podem ter a certeza de que o apetite do mercado para mais cortes teria continuado insaciável. Foi isso que vimos por todo o mundo e isso teria tido, por fim, alguns efeitos negativos nos mercados de dívida. Talvez os investidores estrangeiros começassem a exigir um prémio em ativos esterlinos e, quem sabe, como isso poderia evoluir para as taxas de juro de longo prazo. Podia ter tido até o efeito oposto ao desejado.”

Apesar da decisão ser surpreendente e a negociação na bolsa de Londres ter derrapado, a libra esterlina manteve uma ligeira tendência de subida. Teme-se, contudo, que em breve a moeda britânica volte a desvalorizar.

O Banco de Inglaterra, por fim, volta a reunir-se a quatro de agosto e a mudança de política financeira pode estar guardada para essa altura.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte