Última hora

Em leitura:

Atentado Nice: Grupo Estado Islâmico diz que ataque foi resposta a um apelo

mundo

Atentado Nice: Grupo Estado Islâmico diz que ataque foi resposta a um apelo

Publicidade

O grupo Estado Islâmico reivindicou, esta manhã, o ataque de Nice. Nas redes sociais escreve-se que, segundo os extremistas, “um soldado do EI”, conduziu o atentado na cidade francesa, “em resposta aos apelos” do grupo terrorista “para atacar cidadãos dos países que integram a coligação militar” que os combate “na Síria e no Iraque”.

Uma declaração que surge mais de 24 horas depois de um tunisino, residente na localidade francesa de Nice, ter assassinado 84 pessoas, entre elas 10 crianças, com tiros e ao dirigir o camião frigorífico, que conduzia, para cima da multidão que assistia ao fogo-de-artifício do 14 de julho.

Há ainda vários corpos de vítimas não identificados, segundo fonte hospitalar citada pela agência France Press.

A polícia francesa, que tenta ainda confirmar as motivações de Mohamed Lahouaiej Bouhlel, continua a investigação e fala agora de possível radicalização deste motorista de veículos pesados. Foram detidas, preventivamente, até ao momento cinco pessoas para interrogatório.

As autoridades policiais gaulesas não falam de qualquer ligação, conhecida, aos extremistas. Sabe-se que estava divorciado da mãe dos seus três filhos. A irmã descreve-o, segundo os média franceses, como psicologicamente instável, violento mesmo, com a sua, agora ex-mulher, por exemplo. Tinha perdido o emprego, há poucos dias, por ter cometido uma contraordenação rodoviária.

Mohamed Lahouaiej Bouhlel não queria saber de religião, diz um amigo

Este foi o terceiro atentado terrorista, em território francês, nos últimos 18 meses. Já morreram, no total, 231 pessoas.

As expressões de pesar em português

O comunicado do governo de Cabo Verde

_“O Governo de Cabo Verde, ciente em como nada substitui a dor e a consternação dos familiares das vítimas, deste atentado trágico e hediondo, ocorrido ontem (14 de julho) em Nice, França, está a acompanhar, através da sua representação Diplomática, a evolução e o apuramento cabal deste terrível acontecimento e os seus impactos junto da comunidade Cabo-verdiana radicada naquele país.

O momento convoca-nos a ser solidários, demonstrando a todo o tempo a total disponibilidade, lá onde for necessário e possível contribuir para o conforto que temos de prestar às pessoas, direta e indiretamente afetados.
Estamos cientes de possíveis cidadãos e descendentes Cabo-verdianos de entre as vítimas, acompanhando a par e passo as devidas confirmações oficiais e comprometendo-nos a manter toda a nação corretamente informada.
O nosso coração está com a nação e o povo Francês.”_

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte