Última hora

Em leitura:

Doping na Rússia tem mesmo apoio do Estado

mundo

Doping na Rússia tem mesmo apoio do Estado

Publicidade

A Agência Mundial Antidopagem publicou esta segunda-feira um relatório que confirma aquilo que há muito se suspeitava: o uso sistemático de doping entre os atletas na Rússia tinha a cumplicidade e apoio do Estado.

O documento, liderado por uma comissão independente e apresentado pelo canadiano Richard McLaren em Toronto, revelou que o laboratório de Moscovo responsável pelos testes efetuados durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sochi, protegia os desportistas do país organizador:

“O laboratório responsável em Sochi trocava frequentemente as amostras para permitir que atletas russos que usavam doping pudessem competir. O ministro russo do Desporto dirigia, controlava e supervisionava a manipulação dos resultados dos testes.”

A Rússia acabou por se impor naturalmente como a grande potência desportiva nos Jogos, terminando com um total de 33 medalhas, 13 das quais de ouro.

De acordo com o relatório, o uso sistemático de doping é uma prática com vários anos no país e estende-se a várias modalidades desportivas.

Crescem as vozes para que a Rússia seja impedida de ir aos Jogos do Rio de Janeiro, e não apenas a sua equipa de atletismo. Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional, não demorou a manifestar a sua indignação contra este ataque sem precedentes à integridade do desporto, assegurando que não hesitará em aplicar duras sanções a qualquer indivíduo ou organismo implicado.

Uma medida que irá certamente punir desportistas inocentes, mas depois deste relatório, já não há forma de saber quem está limpo ou não no desporto russo.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte