Última hora

Convenção democrata deverá nomear Hillary Clinton na próxima semana

Nomeado que está o candidato republicano para a eleição presidencial de Novembro, nos Estados Unidos, os democratas preparam-se para oficializar na próxima semana, na convenção de Filadélfia, a candid

Em leitura:

Convenção democrata deverá nomear Hillary Clinton na próxima semana

Tamanho do texto Aa Aa

Nomeado que está o candidato republicano para a eleição presidencial de Novembro, nos Estados Unidos, os democratas preparam-se para oficializar na próxima semana, na convenção de Filadélfia, a candidatura de Hillary Clinton.

allviews Created with Sketch. Point of view

""É a primeira vez na História da nossa nação que uma mulher será a candidata de um dos principais partidos à presidência dos Estados Unidos"."

Hillary Clinton Candidata democrata à presidência dos Estados Unidos

Hillary ganhou as primárias do partido, mas teve ainda que esperar pelo resultado da investigação do FBI, no chamado email gate, para poder respirar de alívio. E, como há oito anos com Obama, esta será uma nomeação histórica:

“Graças a vocês, ultrapassámos uma grande etapa. É a primeira vez na História da nossa nação que uma mulher será a candidata de um dos principais partidos à presidência dos Estados Unidos”.

É também a primeira vez que a ex-primeira dama será, por sua vez, candidata à presidência.
E, se em 2008, Hillary Clinton fez tudo para que Barack Obama fosse eleito, após ter sido derrotada por ele nas primárias; o presidente retribuiu-lhe o favor. Um apoio fundamental, já que Obama é um dos presidentes com o nível de popularidade mais elevado em final de mandato.
Ele que, na convenção da sua própria nomeação em 2008, ironizava: “Dou-me conta que não sou o candidato ideal para este cargo… Falta-me pedigree….”

Outro apoio fundamental é o do rival democrata, Bernie Sanders. Sob o slogan “Junto somos mais fortes”, os dois trabalham num programa eleitoral comum para consolidar os votos das duas facções democratas. Sanders anuncia-se agora como um incondicional de Hillary:
“Farei tudo o que me fôr possível para que ela se torne a próxima presidente dos Estados Unidos”, afirmou recentemente.

Resolvidas as clivagens internas, Clinton começa a concentrar-se no ataque a Donald Trump. Um dos grandes desafios é o voto da comunidade latina – 17% da população, mais de 25 milhões de eleitores. A candidata não perde tempo e mesmo antes de Trump estar nomeado afirmava:
“Em Cleveland vão nomear alguém que pensa que dirigir-se ao eleitorado latino é twittar uma imagem de tacos.. “