Última hora

Em leitura:

Rússia: Condutor de limpa-neves admite negligência que conduziu à morte do presidente da Total

mundo

Rússia: Condutor de limpa-neves admite negligência que conduziu à morte do presidente da Total

Publicidade

Um processo em tribunal resolvido desde o primeiro dia de audiência na Rússia.

Os dois principais suspeitos da morte do patrão da petrolífera Total, após um acidente de avião, declararam-se culpados, durante a abertura do julgamento em Moscovo.

No banco dos réus, o condutor de um limpa-neves, na origem do acidente, e o seu responsável hierárquico admitiram o crime de “violação das regras de segurança”.

Outros três responsáveis do aeroporto de Vnoukovo de Moscovo, a maioria controladores aéreos, vão responder pelas mesmas acusações durante dois a três meses de audiências.

O avião que transportava Christophe de Margerie, presidente do grupo petrolífero francês Total, tinha-se despenhado em Outubro de 2014, depois de colidir com um limpa-neves, durante a descolagem.

A comissão de inquérito russa tinha evocado uma situação de negligência criminosa, depois de ter encontrado 0,6 gramas de álcool no sangue do condutor do limpa-neves.

Para lá de Margerie, outras três pessoas morreram no acidente, entre as quais dois pilotos e uma hospedeira de bordo.

De Margerie, considerado um “verdadeiro amigo” por Vladimir Putin tinha falecido no acidente depois de ter criticado as sanções “injustas e improdutivas” contra Moscovo.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte