Última hora

Em leitura:

Aplicações na área da saúde e do desporto para pessoas e cães

hi-tech

Aplicações na área da saúde e do desporto para pessoas e cães

In partnership with

A tecnologia está cada vez mais incorporada nos objetos do quotidiano. Por exemplo, quem leva o desporto a sério, pode adquirir um cinto que mede o esforço realizado durante o exercício. O cinto fornece informações sobre o ritmo cardíaco, tendo em conta parâmetros como a idade e o peso do utilizador.

A tecnologia foi apresentada, recentemente, na Feira ExCel em Londres.

“Estes cintos incorporam tecnologias como o acelerómetro ou sistemas óticos que fornecem informação sobre a circulação do sangue. Há uma luz que se acende e é possível medir o pulso. Este tipo de sistemas funciona bem quando realizamos movimentos repetidos, mas, na vida real, as coisas não se passam assim. Por isso, registamos os impulsos elétricos do coração, o que é mais exato”, afirmou Dave Wright, diretor da MyZone.

A empresa holandesa TomTom apresentou um sistema de geolocalização aplicado ao golfe.

“Há legislação sobre o uso de aparelhos no golfe. O nosso sistema visa fornecer dados interessantes para as pessoas que jogam golfe regularmente, mas não se destina aos profissionais”, sublinhou Tom Brown, vice-presidente do Departamento de Marketing da TomTom.

Uma empresa britânica promoveu uma aplicação para a realização de diagnósticos ao nível do ouvido e está a desenvolver uma aplicação idêntica para exames oftalmológicos.

“Este sistema poderá ser muito útil nos países desenvolvidos, para as pessoas que vivem nas zonas rurais onde é difícil consultar um especialista. Esta aplicação pode ser usada por pessoas que não possuem conhecimentos médicos. A informação é enviada aos profissionais de saúde que podem fazer um diagnóstico sem que a pessoa tenha necessidade de se deslocar”, disse Mike Pallett, da empresa Cupris Heatlh.

A aplicação PitPat permite monitorizar as atividades dos cães e aconselha os donos sobre o nível de exercício e o regimes alimentar adequado, tendo em conta a idade e o peso do animal. A PitPat garante que só no Reino Unido há quatro milhões de cães obesos.

“Os cães dependem totalmente dos donos. Não podem alimentar-se sozinhos. Esta aplicação ajuda os donos dos animais a fazerem as escolhas certas. Nem toda a gente sabe as diferenças entre a forma como se deve tratar um caniche e um pastor alemão. O nosso objetivo é ajudar e encorajar os donos para que possam divertir-se com os animais”, afirmou Andrew Nowell, diretor da empresa britânica.

Artigo seguinte