Última hora

Em leitura:

Rio2016: Os receios do Zika

mundo

Rio2016: Os receios do Zika

Publicidade

O medo do vírus Zika paira sobre os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no Brasil. Dezenas de atletas desistiram de participar. Não é o caso da tenista Martina Hingis, que participa nos Jogos pela primeira vez, após vinte anos, e de Timea Bacsinszky: “Penso que ontem, quando íamos no autocarro para o campo de ténis, havia dois mosquitos dentro do autocarro. Matei-os”, brinca a tenista.

O Golfe é a modalidade que registou um maior número de desistências. Segundo a organização, o receio do Zika é apenas um pretexto e a verdadeira razão é o baixo valor dos prémios.
Uma opinião partilhada pelo golfista inglês Danny Willett.

“Penso que isso do Zika foi uma maneira de encontrarem uma desculpa. Joguei em Leopard Creek, na África do Sul, umas quatro ou cinco vezes. Cada vez que vamos lá, o risco de apanharmos Malária é maior do que o de apanharmos Zika no Rio”, afirma o golfista.

A América Latina é a região do globo com maior incidência de Zika. O vírus é transmitido por um tipo de mosquito encontrado, pela primeira vez no Brasil, em 2015. Estima-se que milhares de grávidas tenham sido infetadas, levando ao aumento exponencial do nascimento de crianças com microcefalia.

Contudo, alterar a localização dos Jogos Olímpicos não se justificava pois, segundo a Organização Mundial de Saúde, o risco de contágio é muito baixo. Aconselha-se, apenas, que a mulheres grávidas evitem deslocar-se à região.

Os cientistas estão a tentar desenvolver uma vacina.

“Não há nenhum medicamento para a combater o vírus Zika. O que sabemos é que, nesta altura do ano, não temos mosquitos pois está muito frio, para eles. Portanto, o número de infeções por Zika e, também, por dengue, desceu. Em especial no sudeste do Brasil”, informa Jorge Kalil, o diretor do Instituto Butantan, em São Paulo, no Brasil.

Nos media internacionais surgiram vários avisos para se evitarem as viagens para o Brasil, no entanto, muitos turistas continuam a escolher a “cidade maravilhosa” para passar as férias. Estima-se que mais de meio milhão de pessoas se desloquem ao Rio de Janeiro para as Olimpíadas.

“Comprei três frascos de repelente para mosquitos e utilizo-o todos os dias. Recebi todas as vacinas disponíveis e, também, a da febre-amarela. Se tivermos cuidado, deve correr tudo bem”, afirma uma turista de Taiwan.

Não há ainda forma de prevenir o vírus Zika contudo, os investigadores anunciaram, esta sexta-feira, que três diferentes vacinas experimentais, desenvolvidas nos Estados Unidos da América, obtiveram resultados em macacos, abrindo caminho a ensaios em humanos nos próximos meses.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte