Última hora

Em leitura:

Ucrânia põe em "estado de alerta" unidades do exército perto da Crimeia

mundo

Ucrânia põe em "estado de alerta" unidades do exército perto da Crimeia

Publicidade

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, colocou em estado de alerta e no mais alto nível de prontidão para combater as unidades do exército na região de Donbass, perto da Península da Crimeia.

A medida foi tomada depois de a Rússia ter acusado a Ucrânia de “atos terroristas” e de tentar provocar um novo conflito na Crimeia, anexada pela Rússia em 2014.

Kiev negou as acusações de Moscovo e rebate, dizendo que o discurso dos russos é apenas uma desculpa para provocar uma guerra.

Petro Poroshenko informou, esta quinta-feira, que pediu ao ministro dos Negócios Estrangeiros para organizar conversações telefónicas para falar diretamente com Vladimir Putin, com a chanceler alemã, Angela Merkel, com o presidente francês, François Hollande, com o vice-presidente norte-americano, Joe Biden e, ainda, com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Em Moscovo, o presidente russo reuniu-se, esta quinta-feira, com o conselho de segurança do Kremlin para discutir medidas para aumentar a segurança na Crimeia.

Putin acusou Kiev de estar “a jogar um jogo perigoso” e disse não fazer sentido realizar a ronda de negociações de paz, prevista para ocorrer à margem da Cimeira do G20, na China, em setembro.

Na quarta-feira, o FSB, os serviços secretos russos, informou que foi desmantelada, recentemente, uma rede de espionagem ucraniana, na Crimeia, e que duas pessoas foram mortas em combate.

Os russos disseram, ainda, ter detido operacionais ucranianos e de terem impedido duas ações armadas que tinham como objetivo colocar sabotadores da Ucrânia na Crimeia.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte