Última hora

Em leitura:

Ataques: Tailândia fala em sabotagem e aponta o dedo a insurgentes do sul

mundo

Ataques: Tailândia fala em sabotagem e aponta o dedo a insurgentes do sul

Publicidade

A Tailândia está alerta máximo após a detonação de uma série de engenhos explosivos na estância turística de Hua Hin e em províncias do sul do país, no espaço de 24 horas.

O último balanço aponta para pelo menos quatro mortos e mais de trinta feridos, entre eles 10 turistas.

As vítimas mortais são de nacionalidade tailandesa.

Um homem conta como conseguiu escapar a duas explosões.

“Quando a primeira bomba explodiu, baixei-me e fui para trás do carro. Estava a tentar retirar os meus colegas para uma zona segura. Foi quando se deu a a segunda explosão e me voltei a baixar. Só então consegui retirar as pessoas dessa zona” refere Uthai Kosiban.

A polícia tailandesa fala de um ato de “sabotagem” interno com o objetivo de destabilizar o país.

Desde quinta-feira, foram desativados dezenas de engenhos explosivos. As autoridades dizem que as bombas têm a marca dos insurgentes que atuam no sul do país. Uma região palco de um conflito separatista que, desde 2004, já provocou 6.400 mortos .

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte