Última hora

Em leitura:

O mercado húngaro depois da Uber

mundo

O mercado húngaro depois da Uber

Publicidade

Várias empresas estão de olhos postos no mercado de transporte da Hungria depois da Uber ter abandonado o país, no final de julho. A nova legislação levou a norte-americana a fazer marcha atrás, mas fez avançar uma start-up da Estónia acaba de se instalar em Budapeste com uma aplicação que promete ajudar os taxistas a captar clientes.

“A equipa da Taxify já estava a pensar vir para Budapeste em 2014 e a oportunidade surgiu com o fim das operações da Uber no país” Dániel Cziráki, Diretor de Operações da Taxify.

Na mira da empresa estão cerca de 160 mil utilizadores que a gigante norte-americana de transporte dizia ter registados.

Aos clientes é garantida rapidez e segurança. Aos taxistas menos concorrência, logo mais clientes.

“É inovador. Os mais jovens gostavam da Uber e espero que, agora, também apreciem e escolham esta companhia” refere o taxista Balázs Hudák

Os taxistas húngaros encontraram no chefe de Governo um aliado e na nova aplicação uma forma de aumentar as receitas à semelhança do que já acontece em pelo menos 10 países.

Andrea Hajagos: “A saída da Uber da Hungria criou uma oportunidade para esta companhia. Esta pode ser a primeira a instalar-se no país, mas não deve ser a última.”

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte