Última hora

Em leitura:

EUA: Justiça ordena investigação de mais emails de Clinton antes das presidenciais

mundo

EUA: Justiça ordena investigação de mais emails de Clinton antes das presidenciais

Publicidade

A administração norte-americana vai ser forçada a revelar a quase totalidade dos emails da conta privada da ex-Secretária de Estado Hillary Clinton.

Um juíz federal ordenou ao Departamento de Estado que investigue as 14.900 mensagens que não teriam sido visadas pelo inquérito do FBI no ano passado.

Em causa estava a utilização de um servidor informático privado e não protegido por parte da responsável da diplomacia norte-americana entre 2009 e 2013.

Uma primeira série de mensagens eletrónicas poderá ser tornada pública em Outubro, a semanas das presidenciais que vão opor Clinton a Donald Trump.

O departamento de Estado tinha já analisado e revelado mais de 30 mil emails depois do FBI ter classificado a atuação da ex-responsável diplomática de “extremamente imprudente”, sem no entanto apresentar queixa contra Clinton.

O tema é desde há vários meses um dos cavalos de batalha do partido conservador e do rival de Clinton, Donald Trump.

Um grupo conservador, Judicial Watch, revelou ontem uma nova série de documentos eletrónicos que mostram como financiadores da fundação caritativa de Clinton tentaram contactá-la durante o seu mandato como Secretária de Estado.

Trump apelou ontem ao encerramento da fundação quando acusa a rival de ter trocado doações por favores durante o período em que assumiu o cargo de Secretária de Estado.

A organização anunciou uma reforma profunda para evitar quaisquer conflitos de interesses, nomeadamente com a saída de Hillary do Conselho de administração da fundação.

O Departamento de Estado reafirmou ontem que os emails não revelam qualquer “situação vergonhosa”, nem uma alegada retribuição de favores.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte