Última hora

Em leitura:

Instituto Italiano de Tecnologia cria robô mordomo

Sci-tech

Instituto Italiano de Tecnologia cria robô mordomo

Em parceria com

O R1 é o mais recente membro humanoide do Instituto Italiano de Tecnologia, sedeado em Génova. Foi criado em 16 meses por cientistas, técnicos e engenheiros liderados por Giorgio Metta. A equipa acredita que este novo robô vai tornar-se no melhor mordomo que alguém pode querer ter:

“O R1 é um robô humanoide. Criámo-lo com o objetivo de ter um robô que é acessível em termos de preço. O R1 foi concebido para o ambiente doméstico, para ser útil, pensámos primeiro nas pessoas com deficiência, que podem precisar de ajuda, e depois nas outras”, adianta Giorgio Metta.

A ideia era criar uma versão mais barata do que o iCub. Para que o projeto fosse, economicamente viável, foram feitas muitas alterações.

O novo robô mede 1m e 25cm de altura e pode estender o torso 20 cm. Pesa cerca de 50 kg e foi fabricado em plástico e fibra de carbono e metal.

“Quando terminámos o desenvolvimento do hardware, começámos a criar um software para operar o robô através de controlo remoto. O ser humano vê o que o robô vê através de câmaras e, com uma espécie de joystick, ele pode comandar o robô, para ir buscar um objeto, por exemplo”, explica Marco Randazzo, um dos investigadores deste projeto.

O R1 ainda não está terminado mas os investigadores acreditam que, em breve ele será capaz de responder a comandos de voz. O Instituto Italiano de Tecnologia estima que, no início, ele possa custar, aproximadamente, o preço de um carro pequeno, tornando-se um potencial investimento para empresas, e depois, quando o preço diminuir, poderá alguns milhares de euros e ser comprado pelas famílias. O primeiro destes robôs poderá estar disponível no mercado dentro de 12 a 18 meses.

Artigo seguinte