Última hora

Em leitura:

Rousseff diz que é preciso provar crime de responsabilidade

mundo

Rousseff diz que é preciso provar crime de responsabilidade

Publicidade

De consciência tranquila. Dilma Rousseff foi ao Senado dizer que não cometeu qualquer crime de responsabilidade e que o Brasil corre o risco de entrar em rutura democrática.

A chefe de Estado brasileira com mandato suspenso, desde maio, defendeu-se perante os senadores das acusações de manipulação orçamental no âmbito do processo de destituição.

Um discurso emotivo marcado pelo trabalho feito e pelo respeito da Constituição.

A primeira mulher eleita presidente do Brasil refutou as acusações de que é alvo, disse estar a ser vítima de uma injustiça e prometeu continuar a lutar pela democracia.

Acusada de praticar manobras fiscais com o objetivo de melhorar as contas públicas e de assinar decretos a autorizar despesas que não estavam previstas no orçamento, Rousseff arrisca-se a perder o mandato e o direito a ocupar cargos públicos eletivos durante oito anos, se 54 dos 81 senadores considerarem que houve crime de responsabilidade..

O julgamento que começou na quinta-feira é a última fase de um processo iniciado há nove meses. A comunicação social brasileira admite os senadores votem a favor da destituição o mais tardar quarta-feira.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte