Última hora

Em leitura:

Rousseff foi ao Senado dizer que teme pela morte da democracia brasileira

mundo

Rousseff foi ao Senado dizer que teme pela morte da democracia brasileira

Publicidade

De consciência tranquila. Dilma Rousseff foi ao Senado dizer que não cometeu qualquer crime de responsabilidade e que o Brasil corre o risco de entrar em rutura democrática

A chefe de Estado brasileira com mandato suspenso, desde maio, defendeu-se, perante os senadores, das acusações de manipulação orçamental no âmbito do processo de destituição. Um discurso emotivo marcado pelo trabalho feito e pelo respeito da Constituição. Refutou as acusações de que é alvo, disse estar a ser vítima de uma injustiça e prometeu continuar a lutar pela democracia e pelo povo.

Dilma Rousseff arrisca-se a perder, definitivamente, o mandato e o direito a ocupar cargos públicos eletivos durante oito anos, se 54 dos 81 senadores considerarem que houve crime de responsabilidade.

Recorde-se que Rousseff é acusada de praticar manobras fiscais com o objetivo de melhorar as contas públicas e de assinar decretos a autorizar despesas que não estavam previstas no orçamento.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte