This content is not available in your region

Turquia acusa as milícias curdas de "limpeza étnica" no norte da Síria.

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva  com Ricardo Figueira, Leslie Alexander e Reuters
Turquia acusa as milícias curdas de "limpeza étnica" no norte da Síria.

<p><strong>Com Ricardo Figueira, Leslie Alexander e Reuters</strong></p> <p>O norte da Síria vive momentos de <strong>tensão militar</strong> nas regiões de Manbij e Jarablus. </p> <p>A Turquia acusa os militantes curdos sírios das <strong>Unidades de Proteção Popular</strong> ou <strong><span class="caps">YPG</span></strong> (<em>Yekîneyên Parastina Gel</em> em língua curda) de reforçar a sua presença nas localidades.</p> <p>Ancara acusa mesmo os milicianos, próximos do <strong>Partido dos Trabalhadores do Curdistão</strong>, (<span class="caps">PKK</span>, Turquia) de quererem repovoar Jarablus e Manjib. </p> <p>A Turquia falou mesmo em <strong>limpeza étnica</strong> esta segunda-feira. </p> <p>Citadas pela agência Reuters, fontes na região falam no <strong>aumento da presença</strong> de milicianos curdos do <span class="caps">YPG</span>, assim como de armamento.</p> <p>O <span class="caps">YPG</span> rejeita, no entanto, as acusações e assegura ter-se retirado da região, tal como exigido pela Turquia e pelos Estados Unidos. Acusa a Turquia de querer <strong>prolongar a ocupação militar</strong>. </p> <p>As localidades de <strong>Manbij e Jarablus</strong>, situadas na margem ocidental do <strong>rio Eufrates</strong>, foram recentemente tomadas pela Aliança das Forças Democráticas Sírias aos jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico (EI) ou <em>Daesh</em> (pela sigla em língua árabe), durante uma ofensiva que contou com a <strong>presença de milicianos do <span class="caps">YPG</span></strong>, numa operação apoiada pelos Estados Unidos.</p> <h3>Operação <em>Escudo do Eufrates</em></h3> <p>A operação <strong><em>Escudo do Eufrates</em></strong>, levada a cabo pelo exército turco, para além de expulsar os jihadistas do <em>Daesh</em> do norte da Síria, pretende também evitar que os curdos <strong>tomem o poder</strong> na região. </p> <p>Ancara teme que a presença das milícias curdas próximas da fronteira possam <strong>favorecer as atividades dos militantes curdos</strong> em território nacional. </p> <p>Os Estados Unidos já pediram à Turquia e aos milicianos do <span class="caps">YPG</span> que recordem o <strong>objetivo comum</strong>: a expulsão do Daesh da região e de território sírio.</p>