Última hora

Em leitura:

Música eletrónica invade pequena localidade da Geórgia

Cult

Música eletrónica invade pequena localidade da Geórgia

In partnership with

A cidade de Anaklia, na Geórgia, não fogiu à febre dos festivais de verão. A segunda edição do GEM Fest, Festival de Música Eletrónica da Geórgia aqueceu as noites nesta localidade banhada pelo Mar Negro.

O evento decorreu de 10 a 14 de agosto e reuniu cerca de 30,000 pessoas vindas, maioritariamente, dos países da região do Cáucaso.

“Muitas pessoas reúnem-se aqui, olhe para elas, estão felizes e isso é o importante. Precisam de música, só é preciso darem-lhes música e começam a dançar!” – Adianta o jovem Guga.

“Quando ouvi falar do alinhamento disse para comigo que tinha de vir a este evento porque os DJs mais doidos iam estar cá!” – Afirma Ismail, outro dos jovens que não quis perder o festival.

Paul van Dyk é um deles. Está de regresso depois de uma grave lesão grave, no início do ano, depois de cair de um palco. Foi ele o cabeça de cartaz deste evento. Mas outros nomes sonantes da música eletrónica passaram por lá: Paul Kalkbrenner, Fedde Le Grand e GusGus.

O sucesso deste festival, que decorre no recinto de um parque aquático, Aqua Park, é grande o suficiente para estar já a ser preparada uma edição alargada, de 14 de julho a 14 de agosto, para 2017. Um evento criado por um grupo de amigos.

“Eu e os meus amigos decidimos criar este festival de música eletrónica, mas queríamos torná-lo multicultural e multifuncional. Diferentes estilos de música, atividades diferentes num só lugar, nesta pequena localidade da Geórgia”, diz Giorgi Sigua, o responsável pelo festival.

O DJ Lamine, originário da Argélia mas radicado na Grã-Bretanha, foi outro dos que marcou presença neste festival:

“As pessoas recebem a música como deve ser e querem mais. É isso que me faz querer fazer mais e mais, sem parar”, refere Lamine.

“Estou a divertir-me imenso, este é o tipo de festival que precisamos aqui no país. Eu tenho o braço partido mas não faz mal. A atmosfera é tão boa, os DJs são tão bons que o importante é que estou a desfrutar imenso deste tempo aqui”, adianta Nitsa, uma das participantes neste evento.

Um evento que faz esquecer que ali muito perto existiu uma zona de guerra. Anaklia fica na fronteira com a Abecásia, a república autónoma do norte da Geórgia que se declarou independente.

Num gesto de pacificação os organizadores do festival garantiram entrada gratuita aos habitantes da Abecásia e cerca de 150 aderiram ao evento. O dobro do que o ano passado, segundo a organização. Mas houve também iraquianos, iranianos, arménios, entre outros.

Artigo seguinte