Última hora

Coreia do Norte executa vice-primeiro-ministro por falta de respeito, garante Coreia do Sul

Mais uma limpeza no regime da Coreia do Norte.

Em leitura:

Coreia do Norte executa vice-primeiro-ministro por falta de respeito, garante Coreia do Sul

Tamanho do texto Aa Aa

Mais uma limpeza no regime da Coreia do Norte. De acordo com as autoridades sul coreanas, Kim Jong-un mandou executar o vice-primeiro-ministro em julho. De Pyongyang, como sempre não há confirmações nem mais dados sobre o caso. Mas do lado de Seul, o Ministério da Unificação garante que esta morte faz parte já de uma longa lista de execuções feitas pelo líder norte-coreano. O político de 63 anos terá sido executado por um pelotão de fuzilamento, alegadamente por ser um “agitador antirrevolucionário, anti-partido” dos Trabalhadores da Coreia.

Jeong Joo-Hee, porta-voz do ministério sul coreano, explica que “antes de mais, o Vice-primeiro ministro Kim Yong Jin foi executado e Kim Yong Chol, líder do Departamento da Frente Unida foi condenado a trabalhos forçados numa zona rural. Também descobrimos que Choi Hui, diretor de propaganda do partido também recebeu ordens para ser “revolucionado”.

Ou seja, quem é condenado a ser “revolucionado” pelo regime norte-coreano, é enviado para campos de trabalho forçado para ser “reeducado” nos princípios da revolução. E para ser condenado, ao que tudo indica, basta ser, por exemplo, um pouco arrogante, dentro dos padrões do regime.

Desde que chegou ao poder, no final de 2011, Kim Jong-Un já mandou executar vários políticos e militares. Um deles foi, em Dezembro de 2013, o seu tio e antigo mentor político Jang Song-thaek; outro foi o ministro da Defesa Hyon Yong-chol.