Última hora

Em leitura:

Mais de 10 mil migrantes resgatados no mar entre a Líbia e a Itália

mundo

Mais de 10 mil migrantes resgatados no mar entre a Líbia e a Itália

Publicidade

Milhares de migrantes estão a “correr em contra-relógio” para fazerem a perigosa travessia marítima entre a Líbia e a Europa antes do fim do verão, perante a impotência das autoridades líbias, indicaram responsáveis de organizações humanitárias.

Abdel Hamid al-Souei, do Crescente Vermelho Líbio, disse à agência France Presse que a melhoria das condições climatéricas potenciou esta semana uma maciça onda de migração a partir da Líbia. Desde domingo, mais de 10 mil migrantes foram resgatados em barcos prestes a afundar.

“Estes migrantes estão a correr contra o tempo porque receiam o início do outono, em que as condições não estarão tão boas”, explicou.

A maioria dos migrantes originários do Corno de África e da parte oeste do continente africano parte da cidade líbia de Sabratha, a 300 quilómetros da ilha italiana de Lampedusa.

Os traficantes de migrantes têm vindo a explorar a crescente insegurança na Líbia, uma vez que as autoridades líbias concentram os seus recursos limitados no combate aos ‘jihadistas’.

“As nossas patrulhas foram reduzidas ultimamente porque os navios estão envelhecidos e não temos meios para controlar a costa de Sabratha”, declarou em Tripoli o máximo responsável pela marinha líbia, o coronel Ayoub Qassem.

Os serviços de salvamento resgataram 3.000 migrantes nas águas ao largo da Líbia na terça-feira, um dia depois de terem sido resgatadas 6.500 pessoas no Mediterrâneo, um número recorde.

Depois de semanas de relativa acalmia nas águas entre a Itália e a Líbia, outras 1.100 pessoas foram resgatadas no domingo.

O desespero dos migrantes que tentam chegar à Europa tem produzido imagens e histórias dramáticas, incluindo pessoas a saltar dos navios com coletes salva-vidas para tentar alcançar as embarcações da guarda costeira, crianças amontoadas em velhos barcos de pesca ou mesmo uma mãe a dar à luz em plena embarcação.

Desde o início do ano já chegaram a Itália 112.500 migrantes, segundo as Nações Unidas e a guarda costeira, ligeiramente abaixo dos 116.000 registados até ao mesmo mês em 2015.

Mais de 3.100 pessoas já morreram este ano ao tentar chegar à Europa através do Mediterrâneo

Texto: Lusa

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte