Última hora

Última viagem oficial de Barack Obama dá prioridade ao aquecimento global

O Presidente dos Estados unidos está em rota para a cimeira do G20 na China, com escalas no Lago Tahoe, no Nevada, e no Havai, com passagem pelo atol Midway.

Em leitura:

Última viagem oficial de Barack Obama dá prioridade ao aquecimento global

Tamanho do texto Aa Aa

Barack Obama cumpre com os últimos compromissos antes de entregar em janeiro as chaves da Casa Branca ao próximo inquilino.

Com as alterações climáticas no presente menu, o Presidente dos Estados Unidos passou quarta-feira pelo Lago Tahoe, no Nevada, onde fica localizada uma famosa estância de neve norte-americana e onde no ano passado foi registado um recorde de temperaturas positivas.

Obama aproveitou para alertar para a necessidade de se proteger os ecossistemas naturais para se ajudar o planeta a ajustar-se ao aquecimento global.

À chegada a Honolulu, no Havai, o Presidente revelou o programa que tem pela frente. “Daqui, viajo para a China, onde vai acontecer uma cimeira do G20. O clima vai estar no foco da nossa agenda. A liderança conjunta Estados Unidos/ China foi parte do sucesso do Acordo de Paris e eu tenciono continuar a insistir nesse acordo enquanto ocupar este gabinete e, provavelmente, também depois”, prometeu Obama, acrescentando: “Há um provérbio antigo que, traduzido de forma livre, diz ‘unidos para avançar’.”

Durante esta escala no Havai, o chefe da Casa Branca tem agendada uma visita ao atol Midway, uma pequena lha no Pacífico que fioi palco de uma importante vitória dos Estados Unidos sobre o Japão na II Guerra Mundial. a ilha é agora um refúgio de vida selvagem e Obama vai aproveitar para reforçar os alertas sobre a importância de se proteger o planeta do perigo das alterações climáticas.

Com o Presidente norte-americano, previa-se também a chegada ao Havai do furacão Madeleine, entretanto enfraquecido para uma tempestado tropical, ainda assim com ventos a mais de 110 km/hora. A cerca de 1600 quilómetros do Havai anda outro furacão, o Lester, o qual também deverá regredir para tempestade tropical no domingo.

A intensidade e a frequência dos furacões estão igualmente relacionadas com as alterações climáticas em curso no planeta por ação do homem e poderão ser outro dos pontos a ser debatidos pelo G20 na China.