Última hora

Em leitura:

Robôs para uso doméstico apresentados na IFA em Berlim

Sci-tech

Robôs para uso doméstico apresentados na IFA em Berlim

In partnership with

Este ano, os robôs foram as grandes estrelas da maior feira de tecnologia da Europa.Na IFA, em Berlim, o público pôde descobrir várias tecnologias na área da robótica concebidas para um uso doméstico.

“Há algum tempo que se anda a falar de robôs. Claro que é uma tendência que veio para ficar. Há robôs nas fábricas. Mas só agora começam a chegar a casa das pessoas. No domínio da Internet das coisas, os robôs e sistemas automáticas começam a tornar-se mais acessíveis para o consumidor médio. Por exemplo, há robôs que limpam as janelas, o chão, que vigiam a casa e dão comida aos cães”, sublinhou Nicole Scott, editora do site Mobilegeeks.

Uma das propostas da indústria é um robô concebido para a limpeza que pode ser acionado à distância, através de uma aplicação para smartphone e da tecnologia bluetooth.

“Os robôs são hoje utilizados para fazer certas tarefas nas universidades e nas fábricas. Tal como a Internet, que era usada apenas pelo governo, antes de chegar ao grande público. O mesmo vai acontecer com os robôs. A ideia é saber de que forma eles podem tornar-se utéis para os consumidores”, sublinhou Jaime Rivera, editor do site Pocket Now.

O reconhecimento facial é uma das tecnologias usadas para fabricar robôs para uso doméstico. Por exemplo, o robô pode autorizar ou não a entrada de uma pessoa numa casa, com base no reconhecimento facial.

“A ideia não é substituir todas as atividades quotidianas graças aos robôs. A ideia é tornar as coisas mais inteligentes. Vários empregos na indústria podem ser feitos por robôs mas para o utilizador trata-se sobretudo de poder controlar certos aspetos da vida através do smartphone”, afirmou Joshua Vergara, responsável do site Android Authority.

Um altifalante capaz de levitar graças ao magnetismo foi outra das grandes atrações do evento. Mas, as novidades tecnológicas também suscitaram algum ceticismo.

“Claro que gostaria de entrar em casa e ter música a tocar automaticamente. O problema é que eu já investi numa aparelhagem, já tenho uma cama e um frigorífico e esses produtos foram concebidos para durar 20 anos. Por que razão vou pagar o dobro por um frigorífico que não vai melhorar o sabor da comida e se a única coisa que vai fazer é controlar a temperatura e economizar um pouco de energia?”, disse Jaime Rivera, editor do site Pocket Now.

O público pôde ainda experimentar, em Berlim, um pequeno robô inspirado na saga “A Guerra das estrelas”. O BB-8 é controlado por meio de uma pulseira e é capaz de seguir os movimentos do utilizador.

ALL VIEWS

Clique para descobrir
Artigo seguinte