Última hora

Em leitura:

WikiLeaks: Suécia pressiona Equador para poder interrogar Julian Assange

mundo

WikiLeaks: Suécia pressiona Equador para poder interrogar Julian Assange

Publicidade

As autoridades da Suécia confirmam ter a autorização das autoridades do Equador para interrogar Julian Assange, na embaixada equatoriana de Londres, onde o fundador do WikiLeaks se exilou há mais quatro anos.

O australiano é acusado de abuso sexual. Estocolmo espera agora diretrizes de Quito.

A procuradora sueca, Marianne Ny, diz estarem à espera de serem contactados, pelas autoridades equatorianas, para saberem quando será o interrogatório e se poderão estar

Julian Assange está envolvido num processo de alegada violação ocorrida em 2010. O fundador do WikiLeaks
nega as acusações e para evitar ser extraditado para a Suécia, refugiou-se na embaixada do Equador, em Londres.

O tribunal sueco confirmou o mandado de captura internacional e negou o recurso de Assange em que pedia a anulação do processo contra ele.

O jornalista teme que ao ser extraditado para o país escandinavo seja, depois, enviado para os Estados Unidos da América onde pode ser condenado à morte por divulgar documentos secretos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte