This content is not available in your region

Sismo em Itália: Amatrice processa Charlie Hebdo por ofensa e difamação

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com ansa
Sismo em Itália: Amatrice processa Charlie Hebdo por ofensa e difamação

<p>A autarquia de Amatrice, a mais afetada pelo trágico sismo de 24 de agosto em Itália, apresentou esta segunda-feira uma queixa formal contra o jornal satírico francês Charlie Hebdo devido a duas caricaturas sobre o terramoto partilhadas pelo semanário humorístico. </p> <p>Numa, a publicação comparava as quase 300 vítimas mortais do sismo a diversos pratos de massa italianos, incluindo lasanha; noutra, sugeria que os edifícios destruídos haviam sido construídos por grupos mafiosos pouco dados a respeitar regras de segurança.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="pt" dir="ltr">Cidade de Amatrice, na Itália, entra na Justiça contra 'Charlie Hebdo' <a href="https://t.co/VucHG6bJvA">https://t.co/VucHG6bJvA</a> <a href="https://t.co/BYAQ9DAWcF">pic.twitter.com/BYAQ9DAWcF</a></p>— Brasil Press (@Brasil_Pre) <a href="https://twitter.com/Brasil_Pre/status/775399377917636608">12 de setembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O Presidente da Câmara de Amatrice, Sergio Pirozzi, acusa o Charlie Hebdo, de ofensa agravada às vítimas e difamação da autarquia. “Tanto Amatrice como toda a Itália foram ofendidas”, alega o autarca, garantindo estar igualmente “a preparar rogatórias internacionais.” </p> <p>“Através do consulado, vamos igualmente processá-los em França”. “Se vencermos os processos, o dinheiro será aplicado nas reconstruções ou dado às famílias em necessidade”, prometeu Sergio Pirozzi.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="pt" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/Satira?src=hash">#Satira</a> sul <a href="https://twitter.com/hashtag/rerremoto?src=hash">#rerremoto</a><a href="https://twitter.com/hashtag/Amatrice?src=hash">#Amatrice</a> querela <a href="https://twitter.com/hashtag/CharlieHebdo?src=hash">#CharlieHebdo</a> per <a href="https://twitter.com/hashtag/diffamazione?src=hash">#diffamazione</a><a href="https://t.co/KLJLn20gRK">https://t.co/KLJLn20gRK</a><a href="https://twitter.com/hashtag/ultimora?src=hash">#ultimora</a> <a href="https://t.co/TXktRQlzvS">pic.twitter.com/TXktRQlzvS</a></p>— GiornaleProCiv (@giornaleprociv) <a href="https://twitter.com/giornaleprociv/status/775282617830834177">12 de setembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>As duas caricaturas polémicas do Charlie Hebdo deram, entretanto, lugar a uma contra campanha nas redes sociais com a partilha de caricaturas contra o jornal de Paris que saltou para a fama mundial em janeiro do ano passado, ao ser alvo de um ataque de radicais islâmicos.</p> <p>O processo de Amatrice contra o Charlie Hebdo deu entrada esta segunda-feira de manhã no tribunal de Rieti, em Itália. Contactados pela agência italiana Ansa, os responsáveis do jornal satírico rejeitaram comentar a queixa, mas uma nova caricatura pode surgir a qualquer momento.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Italian quake town may sue Charlie Hebdo over 'lasagne' cartoon <a href="https://t.co/wGME8xBm5r">https://t.co/wGME8xBm5r</a> <a href="https://t.co/8aZ9xlmBBt">pic.twitter.com/8aZ9xlmBBt</a></p>— Reuters Top News (@Reuters) <a href="https://twitter.com/Reuters/status/775404540627673088">12 de setembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>