Última hora

Em leitura:

Desfile da Bienal da Dança de Lyon dentro de portas por razão de segurança


Cult

Desfile da Bienal da Dança de Lyon dentro de portas por razão de segurança

A cada edição da Bienal da Dança de Lyon, o desfile pelas ruas da cidade, é um dos momentos mais aguardados. Este ano, por razões de segurança, e após os ataques de Paris e Nice, o desfile realizou-se dentro de portas.

Habitualmente, o evento reúne cerca de 300 mil espetadores. Mas, no estádio de Gerland, o local escolhido para o desfile desta edição, só cabem 40 mil pessoas.

“Temos mau tempo e chuva, mas, as pessoas que vão desfilar estão motivadas. Os espetadores estão protegidos nas bancadas. É melhor do que estar na rua. E o mais importante é que o desfile possa acontecer”, sublinhou Dominique Hervieu, a diretora do desfile.

As alterações impostas por razões de segurança não desmotivaram os participantes. “É mágico, há um bom ambiente. Adorámos”, contou um jovem.

As coreógrafas Kadia Faraux e Maissa Barouche quiseram transmitir uma mensagem de paz.

“Abordámos a questão da mistura e da diversidade cultural, viajámos entre a tradição e o mundo contemporâneo”, disse Kadia Faraux.

“Do Ocidente ao Oriente, queremos promover a importância de sabermos viver juntos. Neste desfile, temos várias gerações, crianças e pessoas mais velhas. Todos nós defendemos os mesmos valores”, acrescentou Maissa Barouche.

“Para nós, a ideia de vivermos juntos não é só teoria. Humanamente, o nosso trabalho com o público é muito forte”, rematou Kadia Faraux.

Para os organizadores do evento, a nota dominante é o otimismo.

“Temos a mesma energia, a mesma paixão, vontade e prazer de dançar, de mostrar que estamos presentes com o apoio redobrado do público. Penso que é o ponto de partida para uma nova aventura, ao fim de vinte anos. O futuro pode ser diferente, há otimismo. É isso de que gosto”, sublinhou Guy Darmet, diretor artístico da Bienal da Dança.

Além do grande desfile popular, a programação da Bienal da Dança de Lyon integra 37 espetáculos.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
A agenda cultural da euronews

Cult

A agenda cultural da euronews