Última hora

Em leitura:

Liga Portuguesa, J5: Benfica assume liderança em jornada de ressaca europeia

mundo

Liga Portuguesa, J5: Benfica assume liderança em jornada de ressaca europeia

Publicidade
  • Benfica foi o único europeu a somar os três pontos
  • Marítimo perde paciência com Paulo César Gusmão
  • Marega isola-se na liderança dos melhores marcadores

O Benfica tomou de assalto a liderança da Liga Portuguesa depois de receber e vencer o Sporting de Braga por 3-1. A equipa de Rui Vitória soma agora 13 pontos, um de vantagem sobre o Sporting, que foi surpreendido em Vila do Conde pelo mesmo resultado. Já o FC Porto voltou a desiludir e não foi além de um nulo no terreno do Tondela.

No Estádio da Luz, qualquer uma das equipas sabia que em caso de vitória se isolaria no comando do campeonato, pelo que não surpreende que os minhotos tenham jogado olhos nos olhos com os tricampeões nacionais. O resultado foi um jogo aberto, com várias oportunidades de parte e parte e Júlio César e Marafona a brilharem entre os postes.


A diferença esteve na eficácia dos atacantes, particularmente de Mitroglou. O grego, que ainda não tinha feito o gosto ao pé esta temporada, marcou por duas vezes. Pelo meio, Pizzi fez o segundo do Benfica a concluir um lance fortuito. O tento de honra do Braga, já ao cair do pano, foi marcado por Rosic.

Gonçalo Guedes foi o jogador mais perigoso do Benfica mas a falta de golos começa a pesar nas suas decisões. José Gomes teve direito a dez minutos e não se limitou a fazer figura de corpo presente. Deu-se ao jogo, esteve perto do golo e deixou água na boca entre os adeptos.

Nos minhotos, Vukčević foi o patrão do meio campo mas a estrela da companhia foi mesmo Marafona entre os postes.

A surpresa da jornada veio do Estádio dos Arcos, onde o Rio Ave derrotou categoricamente o Sporting por 3-1. Depois de uma derrota “in extremis” no Santiago Bernabéu, a equipa leonina esteve completamente à deriva em Vila do Conde e quando acordou, já estava a perder por 3-0.

Jorge Jesus foi obrigado a comer as próprias palavras e foi incapaz de fazer a diferença. Coube aos jogadores a missão impossível de tentar dar a volta ao marcador. O máximo que conseguiram foi reduzir por intermédio de Bas Dost.


A semana do FC Porto não foi muito melhor. Depois de um empate na receção ao Copenhaga, a equipa azul-e-branca não foi além de um nulo frente ao Tondela. Pior que o resultado foi a incapacidade portista para se superiorizar ao lanterna vermelha, a única equipa que ainda não festejou uma vitória na Liga Portuguesa este ano.

Nuno Espírito Santo tem muito trabalho pela frente no Estádio do Dragão e bem pode agradecer a Casillas, que evitou males maiores ao roubar o golo a Murillo na melhor oportunidade do encontro.

Em grande continuam os dois recém-chegados à primeira divisão. O Chaves foi a Arouca vencer com um tento solitário de Perdigão e é, a par do Benfica, a única equipa que ainda não perdeu. As duas equipas irão defrontar-se no próximo fim de semana em Trás-os-Montes. O Feirense foi ao Bessa vencer por 2-1 e somou a segunda vitória fora de portas.


Já o Vitória de Setúbal caiu com estrondo. A equipa sadina sofreu a primeira derrota da temporada, logo em casa e com goleada. Welthon e Ricardo Valente, com dois golos cada, estiveram endiabrados no triunfo do Paços de Ferreira por 4-1. O outro Vitória, não foi além de um empate em Guimarães frente ao Belenenses.

Além dos pacenses, mais duas equipas alcançaram a primeira vitória este fim de semana. O Estoril recebeu e venceu o Moreirense por 2-0, o mesmo resultado com que o Nacional se impôs ao rival Marítimo no dérbi da Madeira. Um resultado que acabou por custar o lugar ao treinador maritimista, Paulo César Gusmão. O brasileiro despede-se com uma vitória e quatro derrotas.


Destaque da semana

Gil Dias

Não é normal vermos um jogador de 19 anos chegar a um clube novo e pegar de estaca. Menos normal ainda se dissermos que o jogador é português. No entanto, foi precisamente isso que Gil Dias fez no Rio Ave. O atacante emprestado pelo Mónaco aos vila-condenses fez o que quis de Bruno César na vitória frente ao Sporting e mostrou que mesmo passando despercebido entre a comunicação social portuguesa (se estivesse num “grande” já seria estrela…), o futuro é risonho.

Artigo seguinte