Última hora

Obama dá luz verde aos carros sem condutor mas com condições

Barack Obama abriu as portas aos carros sem condutor mas, sobre esta matéria, o presidente dos EUA quer regras comuns para todo o país antes que eles saiam para a…

Em leitura:

Obama dá luz verde aos carros sem condutor mas com condições

Tamanho do texto Aa Aa

Barack Obama abriu as portas aos carros sem condutor mas, sobre esta matéria, o presidente dos EUA quer regras comuns para todo o país antes que eles saiam para a estrada. O governo norte-americano vai pedir às construtoras que assinem as 15 regras de segurança para esta nova tecnologia. Uma deles obriga os fabricantes a explicarem como é que estes carros são programados para reagir em caso de problema na estrada.

A Google fez, em fevereiro, um vídeo, que mostra um veículo automático a evitar obstáculos, com ele a Casa Branca espera serenar os ânimos dos americanos depois de um acidente fatal, em maio, na Florida. Um condutor, dirigia um Tesla quando o sistema de piloto automático se ativou.

Apesar deste caso, Obama acredita que “os veículos automáticos têm o potencial de salvar dezenas de milhares de vidas todos os anos”, as construtoras e a Google concordam. Só no ano passado morreram, nas estradas dos EUA, quase 40 000 pessoas:

“Temos de trabalhar em conjunto para fazer ver que esta tecnologia pode salvar vidas. Noventa e quatro por cento dos acidentes, que acontecem nas nossas estradas, derivam de erro humano. Isso significa que devemos agarrar nesse argumento para dar força a esta tecnologia, provando que temos todos a ganhar com ela”, explica Chris Urmson, responsável do Google Driverless Car Program.

Atualmente, nos Estados Unidos as regras para as estradas variam de estado para estado. Esse é outro tema que a administração federal, que pretende a uniformização sobre a matéria, quer ver em cima da mesa.

A Uber, em Pittsburgo, já fez testes com carros autónomos nas ruas desta cidade, aberta ao desenvolvimento tecnológico:

“É algo que nos ajudará a estar na vanguarda de uma nova economia que está a ser construída com base nos veículos autónomos”, explica o presidente da câmara local.

Neste momento, as construtoras correm contra o tempo para ver quem será a primeira a ter as suas viaturas em circulação até 2020.