Última hora

Última hora

Rodrigo Rato: Ex-patrão do FMI responde por desvio de fundos enquanto banqueiro em Espanha

No meio de vaias e em silêncio, o antigo diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo Rato, entrou, esta segunda-feira, num tribunal dos arredores de Madrid para responder por apropri

Em leitura:

Rodrigo Rato: Ex-patrão do FMI responde por desvio de fundos enquanto banqueiro em Espanha

Tamanho do texto Aa Aa

No meio de vaias e em silêncio, o antigo diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo Rato, entrou, esta segunda-feira, num tribunal dos arredores de Madrid para responder por apropriação indevida de fundos no tempo que esteve à frente do banco Caja Madrid, que depois deu lugar ao Bankia.

Rato e outros 64 dirigentes são acusados de terem desviado de mais de 12 milhões de euros, realizando pagamentos com cartões de crédito, que não aparecem como despesas de representação ou profissionais nos relatórios do Bankia, que Rato também dirigiu. O Estado espanhol teve de injetar 22 mil milhões de euros no Bankia, em 2012, por causa de um gigantesco buraco financeiro.

Antes da banca e do FMI, Rodrigo Rato foi ministro da Economia, Finanças e número dois do governo de José Maria Aznar.