Última hora

Em leitura:

Dia Mundial do Turismo: O caso da Hungria


economia

Dia Mundial do Turismo: O caso da Hungria

A 27 de setembro celebra-se o Dia Mundial do Turismo. Este ano, o lema é “Turismo para Todos -promover a acessibilidade universal”.

Atualmente, o turismo faz viajar 1,2 mil milhões de pessoas todos os anos e o setor representa 10% do PIB mundial. No entanto, nem todos podem admirar as belezas do nosso planeta. Cerca de 15% da população mundial sofre alguma forma de incapacidade e não pode viajar. A Organização Mundial do Turismo lança um alerta: é preciso destruir todo o tipo de obstáculos, não só por razões morais, mas também por razões económicas.

Na Hungria, a data foi celebrada com inúmeras iniciativas baratas ou gratuitas, sobretudo em Budapeste. A capital húngara é uma das principais atrações do país e tem visto aumentar a procura, devido à instabilidade geopolítica mundial, como explica a diretora do centro de Turismo de Budapeste, Teodóra Bán: “Entre janeiro e julho deste ano, Budapeste teve um bom desempenho enquanto destino turístico. Houve uma ligeira progressão em relação ao ano passado, devido a tensões geopolíticas”.

No primeiro semestre, Budapeste acolheu 1,8 milhões de turistas. Face ao mesmo período do ano passado, o número subiu 4%.

György Bakond, conselheiro de segurança do primeiro-ministro Viktor Orban, explica o aumento com as medidas de segurança implementadas: “O parlamento húngaro aumentou o número de polícias, criou o centro de análise e informação de contraterrorismo, o exército pode ser mobilizado para combater o terrorismo. Fizemos tudo para que a Hungria seja um país seguro”.

Na Hungria, o setor do turismo representa 10% do PIB e emprega cerca de 500 mil pessoas, ou seja, mais de 12% da força laboral do país. Os números oficiais mostram ainda uma subida das receitas.

Uma habitante de Taiwan explica que visita a Hungria, porque os amigos disseram-lhe que era um país bonito e onde se comia bem.

Num relatório de dezembro, a Organização Mundial do Turismo colocava a Hungria no topo dos destinos turísticos do Centro e Leste da Europa, com um dos maiores aumentos do número de visitantes.

Os próprios húngaros estão a privilegiar as atrações nacionais, como explica Beatrix Asboth, a nossa correspondente em Budapeste: “Este ano houve uma ligeira diferença entre os visitantes de Budapeste. O número de turistas estrangeiros cresceu pouco mas, entre eles, houve um grande aumento dos turistas asiáticos. Ao mesmo tempo, o número de húngaros a visitar a capital disparou 13%”.

Alguns dados interessantes no Dia Mundial do Turismo

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

economia

Clinton-Trump: A reação dos mercados ao primeiro debate presidencial