Última hora

Última hora

Portal "EULeaks" convida a denúncias sobre evasão fiscal

Enquanto não é criada legislação para proteger os denunciantes de escândalos de evasão fiscal e lavagem de dinheiro, como o Panamá Papers, alguns eurodeputados do grupo Verdes criaram o EULeaks, um po

Em leitura:

Portal "EULeaks" convida a denúncias sobre evasão fiscal

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto não é criada legislação para proteger os denunciantes de escândalos de evasão fiscal e lavagem de dinheiro, como o Panamá Papers, há um outro dispositivo para promover mais revelações.

Alguns eurodeputados do grupo Verdes criaram o EULeaks, um portal na Internet para denúncias, mesmo que anónimas.

De acordo com um dos promotores, Sven Gigold, “o EULeaks permite partilhar conosco, de forma anónima e segura, informações sobre contravenções à legislação da União Europeia, seja nas instituições europeias ou nos Estados membros.”

Em causa está o uso de paraísos fiscais para fugir aos impostos ou ocultar a proveniência do dinheiro.

A Comissão de Inquérito sobre Lavagem de Dinheiro, Evasão e Elisão Fiscais do Parlamento Europeu começou a primeira sessão, esta terça-feira, com depoimentos dos jornalistas que revelaram o escândalo.

Uma das depoentes, Julia Stein, disse que “o desafio mais importante é conseguir filtrar 11,5 milhões de documentos. Em seguida, seguimos com a análise propriamente dita para encontrar as várias histórias”.

Recentemente foi revelado o caso Bahamas, onde consta o nome de Neelie Kroes, ex-vice-presidente da Comissão Europeia, mas há muitos outros nomes sonantes, de acordo com o relator da Comissão de Inquérito.

Werner Langen disse que “sabemos, através da imprensa, que o primeiro-ministro islandês renunciou ao cargo, sabemos dos casos de ministros em Malta e noutros países. De acordo com o revelado nos Panamá Papers, sabemos que vários governantes e seus familiares estão envolvidos”.

O mandato desta Comissão de Inquérito é de um ano.