Última hora

Última hora

Breves de Bruxelas: migração e candidatura de Georgieva

Dezenas de milhares de manifestantes são esperados nas ruas de Bruxelas, quinta-feira, em protesto contra propostas de reforma laboral do governo belga, que incluem mais horas de trabalho e mais anos

Em leitura:

Breves de Bruxelas: migração e candidatura de Georgieva

Tamanho do texto Aa Aa

Dezenas de milhares de manifestantes são esperados nas ruas de Bruxelas, quinta-feira, em protesto contra propostas de reforma laboral do governo belga, que incluem mais horas de trabalho e mais anos para obter a pensão. Esta é a quarta manifestação nacional em dois anos de governo de Charles Michel.

Neste programa que passa em revista a atualidade europeia diária falamos, ainda, da política de asilo europeia. O comissário europeu para a Migração, Dimitris Avramopoulos, disse que os controlos nas fronteiras implementados de emergência por alguns Estados-Membros são justificados, mas não poderão prologá-los automaticamente, quando expirarem a 12 de novembro.

Já o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, estará em Kiev (capital da Ucrânia), esta quinta-feira, para se reunir com o primeiro-ministro ucraniano, Volodymyr Groysman e para participar na cerimónia comemorativa dos 75 anos da tragédia em Babi Yar.

Babi Yar foi palco de um dos maiores massacres durante o Holocausto: estima-se que entre 100 mil e 150 mil pessoas, principalmente judeus, mas também ciganos, comunistas e nacionalistas ucranianos, foram mortos durante a ocupação alemã.

E, finalmente, os rumores tornaram-se realidade e a comissária europeia nacional da Bulgária, Kristalina Georgieva, entrou mesmo na corrida para o cargo de secretário-geral das Nações Unidas.