Última hora

Última hora

Clima: União Europeia muito perto de ratificar Acordo de Paris

A União Europeia, enquanto organização política internacional, pretende ratificar, dentro de uma semana, o Acordo de Paris sobre as Alterações Climáticas, decidiram os ministros do Ambiente, reunidos,

Em leitura:

Clima: União Europeia muito perto de ratificar Acordo de Paris

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia, enquanto organização política internacional, pretende ratificar, dentro de uma semana, o Acordo de Paris sobre as Alterações Climáticas.

Num tweet, o presidente do Conselho Europeu congratulou-se com “a luz verde dada por todos os Estados-membros”, sublinhando que “o que parecia impossível, se tornou realidade”.

A decisão foi tomada, numa reunião extraordinária dos ministros do Ambiente, em Bruxelas, sexta-feira, no mesmo dia em que Portugal ratificou o acordo no parlamento nacional.

O comissário europeu para o Clima e Energia, Miguel Arias Cañete, disse que “a nossa reputação estava em causa já que se dizia que as coisas na Europa são muito complicadas para se alcançar um acordo rapidamente. Diziam que havia muitos obstáculos, que somos só conversa fiada e duvidaram que estávamos empenhados de coração. Hoje vimos claramente que o nosso compromisso é sério “.

O acordo pretende reduzir as emissões de gases com efeito de estufa responsáveis pelas alterações do clima, que podem provocar fenómenos extremos, como ondas de calor ou picos de chuva.

O próximo passo a nível da União Europeia é a aprovação do Parlamento Europeu, o que deverá suceder já na próxima terça-feira.

De seguida, o Conselho Europeu deposita os instrumentos de ratificação junto da Organização das Nações Unidas, em cuja sede o acordo foi negociado por 196 partes.

Para entrar em vigor o acordo necessita da ratificação de, pelo menos, 55 países responsáveis por 55% das emissões de gases com efeito de estufa.

Atualmente, 61 países que representam 48% das emissões já o fizeram, incluindo os dois maiores emissores – a China (20% do total) e os EUA (18%), estando ainda prevista a ratificação pela Índia (4,1%) a 2 de outubro.

Portugal representa cerca de 0,12% das emissões mundiais, com 65 milhões de toneladas por ano, mas está integrado na UE, responsável por cerca de 12% das emissões totais.