Última hora

Em leitura:

Síria: EUA e Rússia de costas voltadas


mundo

Síria: EUA e Rússia de costas voltadas

Washington suspendeu as negociações com Moscovo para um cessar-fogo na Síria.

Os Estados Unidos responsabilizam a Rússia pelo fim das conversações bilaterais para acabar com uma guerra que já provocou mais de 300 mil mortos.

A porta-voz do Departamento de Estado norte-americano justifica a decisão.

“A Rússia e o regime sírio escolheram o caminho militar, incompatível com a cessação das hostilidades, como ficou demonstrado pelos intensos ataques contra áreas civis, atingindo infraestruturas críticas tais como hospitais, e impedindo a chegada de ajuda humanitária a civis necessitados” refere Elizabeth Trudeau.

Esta segunda-feira, pelo menos seis pessoas morreram durante mais um bombardeamento contra o maior hospital da zona controlada pela oposição a Bashar Al-Assad na cidade sitiada de Alepo.

Trata-se do terceiro ataque em menos de uma semana contra o hospital designado por M10. Testemunhas apontam o dedo à aviação russa.

País aliado de Bashar Al-Assad, a Rússia critica o apoio norte-americano à oposição síria, cada vez mais conotada com o extremismo.

Na cidade de Hama, controlada pelo regime sírio, dois bombistas suicidas fizeram-se explodir provocando um número indeterminado de mortos. Os ataques que visaram um comissariado da polícia e a sede do Partido no poder já foram reivindicados pelo autoproclamado Estado Islâmico.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Itália: "Dia da memória das vítimas de imigração" celebrado com salvamento de 6000 pessoas